[Sorteio] - Aniversário de 6 anos do blog

Quadrinho bordado com o tema "Harry Potter", com proteção de vidro.
Boa tarde!

Adoro essa época do ano! Além de estar nesse clima gostoso de festas, é quando o Ratas de Biblioteca faz aniversário. Já são seis anos dividindo nosso amor pela literatura com vocês.  E como a gente pode comemorar isso? Com sorteio, é claro! hahaha

Nos últimos dias, bordei um quadrinho e marcadores de páginas com o tema Harry Potter. Tudo em ponto cruz, com muito carinho para vocês. 

As regras vocês já conhecem, mas vamos recapitular:
REGRAS - LEIA COM ATENÇÃO
Para participar você só precisa:
1. Ter endereço de entrega no Brasil;
2. Curtir a página do Ratas de Biblioteca no facebook;

3. Preencher o formulário abaixo uma vez.
Chances extras
Você pode preencher o formulário mais uma vez sempre que:
1. Seguir @rdebiblioteca no Instagram (instagram.com/rdebiblioteca);
2. Compartilhar o link da promoção no Facebook PUBLICAMENTE (não se esqueça deste detalhe, você precisa alterar a configuração de privacidade);
Exemplo de post "público".
Atenção: Não há limites compartilhamentos no Facebook e postagens no twitter, mas pedimos que seja apenas uma vez por dia, ok?
3. Seguir o @rtsdebiblioteca no Twitter;
4. Tuitar "O @rtsdebiblioteca está completando 6 anos! https://goo.gl/XwUzWp".

Lembrando que as "chances extras" são opcionais! Você pode preencher o formulário mais uma vez a cada item que cumprir.
Sobre o resultado
Serão sorteadas quatro pessoas, no dia 20 de janeiro de 2017, pelo Random.org. A primeira vai levar o quadrinho. As outras três vão ganhar um marcador de página cada. A escolha dos marcadores será feita pelos sorteados, dando preferência para a ordem do sorteio. (Ex.: Ana foi a primeira entre os três e quer o de Dobby; João escolhe entre o HP e o do Sirius e sobra o outro para José). Os sorteados serão avisados por e-mail e o resultado será publicado também aqui no blog. Os vencedores terão 48 horas para responderem o contato. Caso contrário, outra pessoa será sorteada.

Vamos lá! Chamem os amigos! haha Boa sorte e, qualquer dúvida, estou à disposição nos comentários.

Mais algumas fotos...



Muito obrigada por continuarem conosco ao longo de todo esse tempo.

Beijo grande!

[Resenha] - Livro: Tá todo mundo mal

"Tá todo mundo mal - O livro das crises", escrito por Jout Jout e publicado pela Companhia das Letras, tem 200 páginas. A autora de 25 anos tem um canal no YouTube que ficou famoso com o vídeo "Não tira o batom vermelho", sobre relacionamentos abusivos. (Assista no final deste post, é muito bom!).

Empoderamento feminino, feminismo, amores não correspondidos, problemas de autoestima, primeiro emprego, morar sozinha, família... Esses são alguns tópicos abordados nas crônicas escritas por Júlia Tolezano. Assim como em seus vídeos, a linguagem da obra é leve, direta e engraçadinha.
Opinião: Esse foi o primeiro (e único!) ~livro de youtuber~ que eu li. Não me interessei por nenhum outro. Apesar de não ser uma apaixonada/fanática pela Jout Jout, estava com expectativas mais altas sobre o conteúdo. Muitas das crises do livro são "classe média sofre". hahaha Mesmo também sendo da classe média, não me senti muito à vontade com a leitura. Li rápido, mas prefiro a Júlia nos vídeos. 
Avaliação: 



Alguém já leu e tem uma opinião diferente?

Beijo!

[Resenha] - Coleção Disney Gogo's Série 2

Os Gogo's da foto são os que vieram nos pacotinhos enviados pela Panini. Nenhum repetido !

Boa tarde, leitores! Tudo bem?

Quem segue o blog lá no instagram (@rdebiblioteca) viu no stories, há alguns dias, que a Panini nos enviou um álbum de figurinhas da segunda coleção de Disney Gogo's. Neste post, vou falar um pouco sobre ele.
A editora mandou um álbum, cinco pacotinhos fechados e várias figurinhas soltas. Tenho muitos personagens, inclusive da primeira série de Disney Gogo's, porque meu ponto de ônibus fica em frente a uma banca. hahahaha Não tem como resistir. ¯\_(ツ)_/¯

Sou apaixonada pelos filmes e personagens da Disney, principalmente por "Procurando Nemo". Quando vi que a segunda série traria o Nemo fiquei muito feliz. Confesso que estava me sentindo velha por colecionar figurinhas, mas faço parte de um grupo de trocas de Belo Horizonte em que sou uma das mulheres mais jovens. Os encontros com elas são bem divertidos, normalmente em shoppings aqui da capital.

Os personagens da série 2
Mickey, Minnie, Tico, Teco, Pateta, Margarida, Elsa, Anna, Marshmallow, Sven, Jaq, Cinderela, Pumba, Zazu, Scar, Aladdin, Jasmine, Abu, Gênio, Nemo, Dory, Fera, Horloge, Nick Wilde, Judy Hopps, Malévola, Mogli, Bagheera, Pocahontas, Edna Moda, Jack Sparrow, Hiro Hamada, Fred, Baymax, Ferb, Agente P, Gonzo, Tristeza, Raiva, Alegria, Stitch, Sulley, Tio Patinhas, Huguinho, Zézinho, Luizinho, Bafo de Onça, Mestre, Bambi, Flor, Ariel, Tritão, Úrsula, Relâmpago McQueen, Woody, Jessie, Buzz Lightyear, Wheezy, Tinker Bell, Pinóquio, Alice, Galinho Chicken Little, Eva, Lucky e Patch.

As figurinhas e os preços 
São mais de 200 figurinhas, retratando a transformação dos personagens consagrados da Disney em versões de toyart. O álbum tem 36 páginas e é vendido nas bancas por  R$ 7,50. Os envelopes azuis (com 4 minicromos e um Disney Gogo's surpresa) custam R$3,50 cada. Obs.: A Panini relançou envelopes dourados e prateados da série 1 em algumas cidades. A lista completa está aqui. No álbum 2 há um pôster para colar personagens da primeira coleção.

Os Gogo's
Olha esse Nemo que coisa mais fofa!!!
Em comparação com a série 1, os Gogo's da série 2 deixam a desejar. Apesar de a série 2 ter personagens bem mais legais (Ariel, gente!), alguns Gogo's vieram com a pintura muito mal feita. É muito raro encontrar um Buzz Lightyear perfeito, por exemplo. Essa é uma reclamação que ouvi de muitos colecionadores, mas ninguém deixou de comprar. haha Caso haja uma série 3, espero que eles venham mais ajeitadinhos.

Nesta série 2, há 65 personagens pintados e 3 deles aparecem também na versão dourada (Pateta, Tio Patinhas e Stich).

Pelo que percebi, a miniatura do Mestre (anão da Branca de Neve) é uma das mais raras. Se alguém tiver para trocar, me avise aí! :P
O que acharam dos bonequinhos? :)

Obrigada Panini! E um agradecimento especial à Lítera, assessoria que nos enviou tudo com tanto carinho.

Beijo e até o próximo post!

[Resenha] - Livro: A última carta de amor

O livro “A Última Carta de Amor”, escrito por Jojo Moyes e publicado pela Editora Intrínseca, fala de amores proibidos e do poder que as palavras escritas possuem. Ellie, uma jornalista que vive um caso com um homem casado, está com o emprego em jogo por andar muito distraída. Melissa, sua chefe, pede que ela faça um artigo comparando o modo de vida na década de 60 com a atualidade, com base nos arquivos do jornal.

Mexendo naquelas pastas empoeiradas, Ellie encontra cartas de amor escritas por "B." a "Jennifer". Aquela história deixa a jornalista curiosa, mas ela permanece imersa em seus próprios problemas.

A narrativa oscila entre presente e passado, mostrando a vida do casal apaixonado que trocava cartas...

Jennifer Stirling acorda no hospital depois de um acidente de carro sem conseguir se lembrar muito bem dos últimos meses. Tudo é vago e confuso. Ela não se sente mais a mesma. O marido "perfeito", a casa maravilhosa, o círculo social animado... Ela parece não se encaixar em nada daquilo. Mexendo em seu armário, encontra uma carta de amor delicada, assinada por "B". Ela passa, então, a observar os amigos do marido que possuem nomes que começam com a letra B e não percebe nada diferente em nenhum deles. Jennifer tenta entender quem era o amante dela, o motivo
de ele ter sumido e o que poderia fazer para reencontrá-lo.

Anos depois, o destino coloca a jornalista Ellie diante de Jennifer e as duas conseguem, juntas, encontrar algumas respostas.

Opinião: Amo livros com protagonistas jornalistas! hahaha Por que será, né? Fico me imaginando no lugar deles, investigando essas histórias, trabalhando nessas redações ... Eu acredito no poder transformador do jornalismo e o romance "A Última Carta de Amor", mesmo sendo de ficção, mostra um pouco disso. Li o livro rapidinho e gostei muito. 

Mais livros da autora resenhados aqui no blog:

Um beijo e até mais!

[Prêmio Jabuti] - Finalistas 2016

Saiu a lista de finalistas do 58º Prêmio Jabuti! Criado em 1958, ele é o mais tradicional prêmio do livro no Brasil. Em 2016, a premiação contempla diversas categorias, como capa; infantil; poesia; e contos e crônicas. É muito bacana ver livros resenhados aqui no blog nesta lista!

O nosso parceiro Maurício Gomyde está concorrendo com o livro “Surpreendente!”, na categoria “Juvenil”. Publicada pela Intrínseca, a obra tem como protagonista um jovem cineasta chamado Pedro que contrariava as expectativas médicas por ter uma doença degenerativa nos olhos que havia se estabilizado. Com amigos (e um amor) ele faz uma viagem inesquecível.

Na categoria “Infantil”, “Malala, a menina que queria ir para a escola”, escrito por Adriana Carranca e publicado pela Companhia das Letrinhas, tem tudo para vencer. O livro conta a emocionante história da jovem Nobel da Paz que luta pela educação das meninas, mesmo depois de terem tentado matá-la por isso. Amei muito este livro! Ele se assemelha a um livro-reportagem, só que para crianças.

Meu coração fica dividido, pois “Lá e Aqui”, de Carolina Moreyra e Odilon Moraes, da Editora Zahar, também concorre na categoria “Infantil” e é maravilhoso. O livrinho (sério, muito fofo) disputa na categoria “Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil”.

A lista com todos os finalistas, de todas as categorias, está disponível no site do Prêmio Jabuti. Quais são suas apostas? Tão bom ver a literatura nacional sendo valorizada.

♥ Clique nas fotos abaixo para ler as resenhas: 

[Exposição] - ComCiência em BH

Arcadia, Patricia Piccinini. Fonte: Site CCBB
A exposição "ComCiência", da artista Patricia Piccinini, está em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) de Belo Horizonte. Sempre quis ver de perto esses seres estranhos criados por ela. A australiana levou para a arte a questão da mutação genética, com obras cheias de realismo. Esculturas, desenhos, fotografias e vídeos fazem parte da mostra que tem curadoria de Marcello Dantas.
Fotos: Thaís Leocádio
Os destaques são as esculturas feitas de silicone e fibra de vidro. Apesar de causarem estranhamento, as figuras quase humanas têm expressões afetuosas, carinhosas, simpáticas. Adultos e crianças se encantam diante das peças. É impossível não se envolver. A exposição fica aberta das 9h às 21h, até o dia 4 de janeiro.
Fotos: Thaís Leocádio



Serviço
Exposição ComCiência, de Patricia Piccinini
Quando? Até 4 de janeiro de 2017, das 9h às 21h
Onde? CCBB BH - Circuito Cultural Praça da Liberdade
Entrada gratuita 
Mais informações estão no site do CCBB.

[Resenha] - Livro: Pax



"Pax", escrito por Sara Pennypacker e ilustrado por Jon Klassen, fala sobre a amizade de um garoto e a raposa de estimação dele, cujo nome dá título ao livro.

Apesar de o nome do bichinho significar "paz", os personagens estão vivendo um período de guerra. O conflito foi responsável por separá-los. O pai do protagonista foi servir ao exército e, por isso, abandonou Pax na estrada e deixou o garoto morando com o avô.

O menino estava junto com o pai no momento do abandono e não conseguiu se perdoar. Por isso, juntou suas coisas, fugiu da casa do avô e deu início, à pé, a uma viagem de resgate. Ele precisava encontrar Pax, pois, criado em casa, o animal não sobreviveria à vida selvagem.

No caminho, o garoto se machucou gravemente, quebrando o pé. Conseguiu ajuda em uma casa afastada, onde vivia uma mulher misteriosa que tinha uma perna de pau.

A narrativa intercala capítulos focados no menino com outros que trazem a perspectiva de Pax. Os desafios que o garoto enfrenta para tentar reencontrar o amigo peludo são apresentados ao mesmo tempo em que Pax faz amigos selvagens (que o ajudam a redescobrir seus instintos).
Opinião: História simples e emocionante. Os personagens vão sendo construídos aos poucos ao longo do enredo e isso me deixou bem interessada. Há uma forte humanização dos animais também. O livro é cheio de frases de efeito e de reflexão. Achei o projeto gráfico de "Pax" bem bonito (e parecido com o dos livros da Editora Zahar). Recomendo a leitura!
Avaliação: 



[Resenha] - Livro: Loney

O livro "Loney", escrito por Andrew Michael Hurley e publicado pela Editora Intrínseca, tem 304 páginas. A obra de ficção é narrada por "Tonto" Smith, ora jovem, ora adulto. O protagonista se sente responsável pelo irmão mais velho, Hanny, que é mudo.

Todos os anos, na Páscoa, a família Smith viaja com membros da paróquia de São Judas Tadeu para um santuário na costa da Inglaterra, na esperança de que Hanny seja curado lá. Eles sempre foram guiados pelo padre Wilfred, mas, depois da morte dele, o jovem padre Bernard é quem assume a missão.

O grupo estava, como de costume, hospedado no Loney. Os dois garotos começaram, então, a ter contato com pessoas estranhas, como um casal que mantinha presa uma criança grávida em uma cadeira de rodas. O tempo passa e Hanny não precisa mais de supervisão.

Os acontecimentos daquele feriado são esquecidos por muitos anos, até o corpo de um bebê ser encontrado na praia daquele local sagrado. Por décadas, apenas Tonto guardou as memórias daquele sombrio passeio. Será que o mistério do lugar vai ser desvendado?

Mais informações no site da editora

Opinião: O livro veio de surpresa enviado pela Intrínseca e não é o estilo que costumo ler. Mesmo assim, decidi arriscar. Antes, li algumas resenhas classificando este livro como sendo de terror. E eu sou muito medrosa! Fui lendo devagar, temendo o tal momento assustador - que nunca chegou! hahahaha O livro é bom, mas eu esperava mais dele. Fiquei com a sensação de que não entendi nada. A história tem muitos buracos para que o leitor preencha com a imaginação e eu não estava muito criativa.

Avaliação: 
* cortesia da editora 

[Resenha] - Livro: Bruno Zumbi

O livro "Bruno Zumbi", escrito por Ângela Marques e publicado pela Editora Lê, tem 56 páginas. A história, narrada em forma de diário, tem como protagonista um adolescente negro. Ele escreve sobre suas angustias, alegrias e dúvidas.

O Zumbi do apelido dado a Bruno vem de Zumbi dos Palmares, figura admirada por ele. O racismo velado (e outras vezes nem tanto) no cotidiano do garoto é descrito de uma forma intensa em primeira pessoa.

Uma decepção amorosa, o bullying sofrido na escola, a amizade com o "mano", o carinho da família... Os relatos do rapaz são sensíveis e reais.

Avaliação: 
Opinião: Ângela, a autora, fez parte da banca que avaliou o Trabalho de Conclusão de Curso que fiz com minha amiga Enise Silva. Ela é muito querida por nós e foi uma professora marcante durante nossa faculdade de jornalismo. No dia da defesa do TCC, ela nos deu este exemplar de "Bruno Zumbi" com uma dedicatória fofinha. Eu tenho dificuldade em imaginar os personagens quando conheço pessoalmente os escritores, mas consegui enxergar o Bruno direitinho. Li o livro super rápido, no ônibus, e fiquei querendo saber o que aconteceu com o protagonista depois do ponto final.
Espero que tenham gostado! :) Peço desculpas por ter ficado tanto tempo sem postar.

Até mais!

[Resenha] - Livro: Casa Velha, Machado de Assis

O livro "Casa Velha", escrito por Machado de Assis e publicado pela editora Garnier, tem 184 páginas.

A obra traz uma história que circulou na revista carioca "A Estação", de janeiro de 1885 a fevereiro de 1886. Porém, diferentemente de outras obras criadas no mesmo formato, Machado optou por não lançá-la como livro em vida.

A reunião desses fragmentos foi realizada em 1943 por Lúcia Miguel-Pereira. A novela "Casa Velha" trata de temas característicos do escritor, como a ascensão social por meio do casamento, a sociedade de aparências e o ciúme.

A edição possui uma introdução escrita por John Gledson com o título "Casa Velha: Um subsídio para melhor compreender Machado de Assis" e também um prefácio assinado por Lúcia. Depois do texto da novela, há ainda um pequeno conto chamado "Uma por outra".

Casa Velha

Um padre é narrador da história. Ele começa a frequentar a Casa Velha para recolher material para um livro sobre o reinado de Dom Pedro I. Naquele lugar, vive a família de um político já falecido e livros e jornais deixados por este são o material de consulta para o trabalho.

Porém, os acontecimentos da casa é que passam a interessar o religioso. A viúva, Dona Antônia, tem um filho já moço chamado Félix. Ela havia também ajudado a educar uma agregada da casa, Lalau. E os dois jovens se apaixonam.

Dona Antônia, apesar de amar a menina, não quer que o filho se case com alguém de condição social inferior. Surge, então, a desconfiança de que o relacionamento é incestuoso. O padre, que ali estava só para observar, acaba se envolvendo na confusão.

Uma por outra

O conto fala de um estudante que escreve poesias e que vive se apaixonando. Ao longo da história, ele se encantou por três mulheres (e viu, uma a uma, subindo ao altar com outros homens). 

"Assim vai a vida humana: um nada basta para complicar tudo".

Opinião: Aprendi com "O Mágico de Oz" ([Resenha] - Livro: O Mágico de Oz) a nunca mais ler as análises antes da história. Então, comecei pelos textos de Machado e só depois voltei ao prefácio e ao comentário de John.

Gostei tanto da história de "Casa Velha", quanto de "Uma por outra". Não foi "Nossa, esse livro mudou a minha vida", porém ler Machado de Assis é sempre gostoso. Ele construía narradores e personagens muito interessantes.

Este não é um dos trabalhos mais conhecidos do autor, mas é envolvente. Os textos de "explicação" da obra falam várias vezes que a qualidade desta história é muito inferior aos outros livros dele. (E até por isso ele não quis reeditá-la, né?) Mas o pior de Machado de Assis ainda é melhor que muita coisa.

Avaliação:

[Resenha] - Livro: Magimakía - A busca por Merlin

O livro "Magimakía – A busca por Merlin", escrito por Rafael Lovato e publicado em Portugal pela Chiado, tem 250 páginas e fala sobre uma importante batalha no mundo mágico.

O protagonista tem 15 anos e se chama Oliver. Ele vive com a mãe e o padrasto. A única coisa que sabe sobre o pai é que está morto. Fã de Harry Potter, o garoto é ingênuo, fraco e sofre bullying na escola.

Na véspera de uma temida prova de matemática, Oliver é sequestrado por uma dupla estranha: um goblin e um troll. Em boa parte do livro, ele está apertado para fazer xixi, enquanto criaturas fantásticas (como demônios e anjos) são apresentadas ao leitor.

Oliver descobre que é descendente do famoso mago Merlin e o único capaz de libertá-lo de um mausoléu onde dorme há mais de 500 anos. Para salvar magos e bruxas (e voltar para casa em paz), o adolescente precisa embarcar nessa aventura. Felizmente, ele tem a companhia do mago Ben e das bruxinhas Avery e Violet.
 - 


Opinião: Sempre bom trazer autores nacionais para o blog! ♥ O livro segue o arquétipo do herói e envolve magia: a combinação que eu gosto! rs Oliver gostar de Harry Potter é bem interessante. Ora a história é narrada por goblins, ora é narrada na perspectiva de Oliver. Em alguns momentos, a voz de Rafael Lovato também aparece, como "tradutor" da história mágica para a nossa língua. No início, essa mudança de narradores me deixou confusa, mas depois acabei gostando. Acho que as bruxinhas poderiam ter mais espaço na história, espero que isso aconteça nos próximos livros! 

O que não gostei foi o excesso de gírias. Isso me incomodou bastante e travou um pouco a leitura. É claro que um livro escrito para jovens tem que conversar com esse público, mas acredito que houve um exagero. Como o livro foi publicado em Portugal, pode ser que lá eles usem esses termos... Mas, aqui no Brasil, os adolescentes que eu conheço atualmente têm outras gírias (tanto pessoalmente, quanto na internet, não os vejo falando "irado", por exemplo). E aí está o problema dessas palavras, elas ficam "obsoletas" muito rápido.

A história é bacana e o final é de tirar o fôlego. Achei uma pena eu ter tido essa birra com os "caraca vei" de Oliver.

Avaliação:
Rafael Lovato é parceiro do blog Ratas de Biblioteca e tem livros publicados no Brasil, em Portugal e nos Estados Unidos. Entre os títulos lançados estão "Anverso e reverso de um crime", "Clarke", "A lenda de Jael", "O peregrino Joshua Vol. 1 e 2" e "Magimakía – A busca por Merlin". 
Saiba mais em:

* cortesia da editora

[Lista] - 20 tatuagens para quem ama os livros

Bom dia, leitores!

Eu morro de vontade de fazer uma tatuagem literária e, por isso, busco imagens para me inspirar. Abaixo, estão 20 tatuagens para quem ama os livros. Elas foram feitas por tatuadores de várias partes do mundo.

Desenhos inspirados em "Harry Potter", "Alice no País das Maravilhas", "Onde Vivem os Monstros"... Existem ainda as tatuagens que trazem o livro (objeto) como destaque. Difícil escolher qual é a mais bonita!

Confesso que perco a noção do tempo vendo fotos de apaixonados por literatura que têm esse amor marcado na pele. ♥ 

Inspire-se também:


Créditos, na ordem em que aparecem:
@alextattosnc ♥ @black.fishhh  @austinwest_art ♥ @bobarrin
@blacktattoo_art  @emmmabooks ♥ @crimsonarrowtattoo ♥ @davideferlisi
@felipemwillrich ♥ @h.suantsai ♥ @ivygabrielli  @nathanabney
@janatuzova ♥ @retributionmara  @thisisalexheart ♥ @thepapercat
@thepapercat  @williamlloydtattoo ♥ @nomsies_world ♥ @jeisonpeixoto
As imagens foram retiradas de perfis no Instagram abertos e estão todas creditadas. Se você for a pessoa tatuada ou o autor da foto, e não quiser aparecer aqui, é só comentar aí embaixo que eu resolvo :)

Você tem alguma tatuagem literária? Me mostra!

[Pesquisa] - Retratos da Leitura no Brasil 4ª Edição




O Instituto Pró-Livro (IPL) divulgou os dados da 4ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Ibope. Mais de 5 mil entrevistas domiciliares foram feitas em 2015, com brasileiros de 5 anos ou mais, alfabetizados ou não.

Para o IPL, é considerado leitor quem "leu, inteiro ou em partes, pelo menos 1 livro nos últimos 3 meses". A notícia boa é que o número de leitores cresceu de 2011 para 2015, passando de 50% para 56%. E, destes, 25%, lê por gosto.

A escolha dos livros se dá principalmente pelo tema ou assunto (30%). As resenhas influenciam 5% dos entrevistados. Já para as crianças, o que manda mesmo é a capa.

A Bíblia é o livro mais lido tanto por quem está estudando, quanto por quem não está. Em seguida aparecem livros religiosos, contos e romances. Apesar de o local em que as pessoas mais leem ser a casa, o Instituto chama a atenção para a leitura em meios de transporte, como ônibus, trem, metrô ou avião.

Leitores e não leitores disseram que o motivo para não ler (ou ter lido pouco) é a falta de tempo. A maior parte dos leitores lê livros comprados em lojas físicas ou pela internet (43%). O empréstimo em bibliotecas aparece somente em quarto lugar, com 18%.

A média de livros lidos pelo brasileiro, por ano, é de 4,96 livros. Em 2011, esse número era menor (4).

 Entre os leitores, as mães e responsáveis do sexo feminino aparecem como as maiores influenciadoras pelo gosto pela leitura. 

Na lista de autores mais citados, o nome de Kéfera aparece com a mesma porcentagem de Machado de Assis, Maurício de Souza, Ellen G. White, Padre Fábio de Melo e Bispo Edir Macedo. Abaixo estão os livros mais citados na pesquisa:


Para ver a pesquisa completa, clique aqui.

O que acharam dos dados? Felizes por estarem entre a maioria leitora? Quantos livros vocês já leram em 2016?

[Resenha] - Livro: O menino no espelho

O livro "O menino no espelho", escrito por Fernando Sabino e publicado pela Record, é inspirado em passagens da infância do autor.

Misturando realidade e fantasia, Sabino conta, em 208 páginas, aventuras de criança vividas em Belo Horizonte.

"O canivetinho vermelho", "Como deixei de voar", "O mistério da casa abandonada", "Uma aventura na selva" e "Minha glória de campeão" são algumas das histórias presentes na obra.

O pequeno Fernando teve um clube secreto, uma galinha de estimação, um inimigo na escola (e outro na vizinhança) e muita criatividade! Um livro de leitura rápida e envolvente, que transporta o leitor para a ingenuidade da infância.
"Quando eu era menino, os mais velhos perguntavam:
- Que é que você quer ser quando crescer?
Hoje não perguntam mais.
Se perguntassem, eu diria que quero ser menino."
Fernando Sabino
Opinião: Li esse livro para a Tertúlia Literária e gostei demais. As brincadeiras de menino narradas por um Fernando Sabino adulto são deliciosas e divertidas. Eu me vi em muita coisa trazida nos textos, como as conversas em código, a admiração pela vida na selva mostrada nos filmes e as dores do primeiro amor.

Avaliação:

[Resenha] - Livro: Chico Mendes (A luta de cada um)


O livro "Chico Mendes", da coleção "A luta de cada um", foi escrito por Márcio Souza e publicado pela Editora Callis. Em 80 páginas, o leitor é apresentado aos conflitos entre os seringueiros e os homens poderosos na década de 1980.

De um lado, trabalhadores que preservavam a Amazônia e tiravam dela seu sustento. De outro, um governo autoritário, donos de gado, uma polícia corrompida e a despreocupação com o meio ambiente.

Chico Mendes foi um sindicalista que lutou, até o dia em que foi assassinado, pelos direitos do povo oprimido. O livro mostra a trajetória do seringueiro, fala de sua vida pessoal (amizades e casamento) e traz informações sobre o contexto social da época. A obra é ilustrada por desenhos e fotografias.
"Naquele ano os fazendeiros planejavam desmatar dez mil hectares de selva no Acre. Graças à luta de Chico Mendes, só conseguiram desmatar cinquenta hectares de terra, assim mesmo sob proteção judicial e da polícia militar".


Opinião: Terminei essa rápida leitura encantada com a qualidade do texto, das imagens e da edição. Eu não conhecia a fundo a luta dos seringueiros e o livro, apesar de curto, conseguiu explicar bem. A coleção "A luta de cada um" está na categoria juvenil do catálogo da Editora Callis e acho que seria ótimo que os jovens lessem esse tipo de livro. É importante que a gente aprenda sobre a história do nosso país. Muitos trechos da obra me fizeram refletir sobre o atual cenário político e social do Brasil. Os pobres continuam incomodando, a natureza continua sendo destruída. A luta de pessoas como Chico Mendes não tem fim.

Avaliação:
* cortesia da editora

Mais fotos do livro 




Beijos e até mais!