[Resenha] - Livro: Jogos Vorazes

O mundo que nós conhecemos é destruído. Porém, uma nova nação se estabelece nas antigas terras da América do Norte. Esse país é Panem, divido em 13 Distritos e a Capital. Após uma rebelião contra a Capital, o Distrito 13 é destruído. Além de ter toda a população dessa região morta, o governo estabelece os Jogos Vorazes, como forma de mostrar todo o seu poder e dominação sobre os Distritos.

Panem é formada por abruptos contrastes: enquanto os habitantes da Capital vivem no luxo, na riqueza e nos exageros, a população dos Distritos é pobre. Presos, sem permissão para mudar de região ou ir para a Capital, eles passam fome, não possuem energia elétrica e trabalham dia e noite sem segurança alguma e com salários miseráveis.

Além de todo o sofrimento já enfrentado, todo ano ocorre os Jogos Vorazes. Nessa competição, cada Distrito envia dois tributos (uma menina e um menino). Os 24 tributos devem lutar em uma arena (que é diferente a cada ano) até que só um sobreviva, sendo que tudo isso é transmitido ao vivo para toda a população.

O livro, de Suzanne Collins, é brilhante. Nele, conhecemos a história de Katniss Everdeen, moradora do Distrito 12 que, após a morte de seu pai, foi obrigada a burlar os sistemas de segurança impostos pela Capital. Com seu amigo Gale, ela passa a sair dos limites do seu Distrito e a entrar na floresta para caçar, uma vez que essa se torna a única forma de alimentar sua mãe e sua doce irmã, Prim.

A rotina de Katniss era dura, mas ainda assim era melhor do que estava por vir. Durante o sorteio dos tributos para a nova edição dos Jogos Vorazes, um nome inesperado aparece: Prim. Incapaz de ver sua irmãzinha mais nova nesse jogo doentio, Katniss se apresenta como voluntária. O outro tributo escolhido é Peeta, que se tornará muito importante para a jovem Everdeen.

Para acompanhar todas as aventuras, lutas, emoções e alianças dos Jogos Vorazes, você nem precisa morar em um dos 12 Distritos restantes: basta ler o livro!

Opinião: Magnífico. Sem dúvidas um dos melhores livros que eu já li. No começo fiquei meio irritada com a narração no presente, mas com o passar dos capítulos entendi a proposta desse tempo verbal: eu não era mais Amanda Leocádio, era Katniss Everdeen. A história te cativa tanto que você simplesmente não consegue largar o livro. E, se é obrigada a largar, fica pensando o tempo inteiro no que vai acontecer a seguir. Confesso que é meio previsível, mas mesmo assim é uma obra muito bem elaborada. Entrou para a minha lista de favoritos! 

Avaliação: