[Resenha] - Livro: Um amor para recordar

O livro "Um amor para recordar", título original A Walk To Remeber, 184 páginas, Editora Novo Conceito, escrito por Nicholas Sparks, tem como protagonistas Jamie Sullivan e Landon Carter.

Jamie era uma menina religiosa, filha do pastor Hegbert Sullivan. Adorada pelos mais velhos e ridicularizada pelos adolescentes de sua idade, não se esforçava para se encaixar nos padrões da juventude e, por isso, não tinha amigos. Sempre agarrada a uma Bíblia, passava todo o seu tempo preocupada em ajudar os outros, visitando o orfanato da cidade e, também, socorrendo animais das ruas.

Landon Carter, apesar de não ser um mau garoto, seguia a linha dos demais. Era o menino mais rico da escola, apesar de não ser o mais popular (posto ocupado por seu melhor amigo), e gostava de fugir de casa durante a noite para conversar no cemitério com sua turma.

Temendo Química II, Landon se inscreve para a turma de Artes Dramáticas que, naquele ano, apresentaria a peça especial de Natal, escrita por Hegbert. A pedido de Jamie, ele pegou o papel principal - e muitas vezes se arrependeu disso. A convivência dos dois, por causa dos ensaios, fez com que, muitas vezes, Landon perdesse a paciência com aquela menina sempre alegre e esquisita. Mas, aos poucos, o sentimento dele por ela se transforma e ele descobre que Jamie guarda um enorme segredo.
Opinião: Assisti ao filme há muito tempo! Apesar disso, ainda me lembrava de quase tudo o que acontecia, por isso não houve tanta surpresa durante a leitura. E algumas partes bem legais do filme não existem no livro. Ler "Um amor para recordar" foi, sim, agradável, mas a sensação que tive ao ver o filme foi melhor. (Aliás, preciso revê-lo). Não se pode negar que Nicholas Sparks sabe criar histórias de amor tristes como ninguém. Demorei para me envolver com esse livro, mas, quando aconteceu, não sosseguei enquanto não cheguei à última página. E, claro, chorei.
Outras capas:

   

[Resenha] - Livro: O milagre dos pássaros

O livro "O milagre dos pássaros", 64 páginas, traz um conto escrito por Jorge Amado que, nessa edição da Companhia das Letras, ganha cores e ilustrações de Joana Lira e, ainda, comentários de Ana Miranda.

A breve e divertida história se passa na cidade de Piranhas, às margens do Rio São Francisco e narra como teve fim o confronto entre Ubaldo Capadócio, escritor de folhetos de cordel, e do Capitão Lindolfo Ezequiel.

Ubaldo era mulherengo e mantinha três famílias, totalizando nove filhos. Vivia viajando e, além das esposas "fixas", era chegado num romance a qualquer hora, a qualquer custo. Mesmo sendo avisado do risco que corria, um de seus envolvimentos foi com Sabô, esposa do homicida Capitão Lindolfo Ezequiel. E é aí que a confusão tem início...

Avaliação: 

Opinião: Um livro curtinho e gostoso de ler. O final não faz sentido, mas não posso negar que é surpreendente. ;) Leia aqui um trecho em pdf.

[Resenha] - Livro: Fazendo meu filme 2

Este post pode conter revelações do volume anterior da série, Fazendo meu filme - A estreia de Fani (clique aqui e leia a resenha).

O livro Fazendo meu filme 2 - Fani na terra da rainha, escrito por Paula Pimenta, Editora Gutenberg, tem 328 páginas e traz de volta a protagonista Fani, agora embarcando para um ano de intercâmbio na Inglaterra.

Ficar longe da família, dos amigos e, claro, de Leo, não seria tarefa fácil. Assim que chegou a Brighton, Fani desejou não ter viajado, mas sabia que estava sendo boba. Ela deveria aproveitar esse tempo para pensar, crescer e viver experiências enriquecedoras.

No entanto, tudo o que fazia ou via, lembrava Leo. A atitude dela para contornar a situação foi ignorar completamente sua existência. Não lia nem respondia seus e-mails, não dava notícias. Pensando ser essa a melhor saída, acabou por perder o amor de sua vida, que cansou de ser ignorado e começou uma nova relação, com a pequena Marilu.

Mesmo arrependida e com o coração partido, Fani estudou bastante, apresentou uma peça de teatro, fez amigos incríveis, manteve contato com Gabi, Priscila e Natália e, felizmente, foi presenteada com a melhor host family do mundo. Apesar da saudade, ela se descobriu maior. Entre lágrimas e risadas, Fani se permitiu viver um outro romance, ir a lugares diferentes e, também, amadurecer.

Acompanhar as reviravoltas da personagem é divertido, graças ao jeito simples e envolvente com que Paula Pimenta escreve.

[Citação da semana] - #3






"Era estranho como o mundo podia alterar seu eixo, e tudo em que você sempre confiou podia se inverter de uma hora para a outra." 



Cidade das Almas Perdidas, Cassandra Clare

[Sorteio] - Livro: A casa de Hades

As férias estão acabando e o retorno à rotina merece um incentivo né? Então sortearemos, em parceria com a Editora Intrínseca, o quarto livro da série Heróis do Olimpo, de Rick Riordan. A casa de Hades foi resenhado aqui ([Resenha] - Livro: A casa de Hades). Fique atento às regras e boa sorte!

Regras
1. Ter endereço de entrega no Brasil;
2. Curtir a página do Ratas de Biblioteca no facebook;

3. Preencher o formulário abaixo UMA ÚNICA VEZ.

Chances extras
Você pode preencher o formulário mais uma vez sempre que:
1. Compartilhar a imagem da promoção no Facebook PUBLICAMENTE (não se esqueça deste detalhe, você precisa alterar a configuração de privacidade);
Exemplo de post "público".

Atenção: Não há limites compartilhamentos no Facebook, mas pedimos que seja apenas uma vez por dia, ok?

2. Divulgar o sorteio em seu blog;
3. Comentar em qualquer post do Ratas que tenha sido publicado a partir do dia 21/12/2013.
4. Seguir o @rtsdebiblioteca no Twitter;
5. Tweetar "Quero o livro A Casa de Hades que as @rtsdebiblioteca estão sorteando".
6. Seguir o blog publicamente no Google Friend Connect (para isso, clique em Participar deste site, na coluna à direita).


Caso alguma coisa não tenha ficado clara, é só me perguntar. ;)
Você pode participar até o dia 23/02/2014. O sorteio será realizado via Random.org e o vencedor será notificado por e-mail (caso não responda em até 48h, outra pessoa será sorteada).
Boa sorte!

____________________________RESULTADO____________________________

  Quem venceu o sorteio foi a Ana Cristina!
Obrigada a todos que participaram.
Beijos

[Resenha] - Livro: Admirável Mundo Novo

Se tem uma coisa que eu gosto é aquele livro que faz com você repense toda a sua vida e os seus conceitos. Bem, acho que isso define razoavelmente o livro "Admirável Mundo Novo", de Aldous Huxley.



A sociedade não é mais como antes. Conceitos como "mãe" e "pai" deixam os novos jovens desconfortáveis. Todos os bebês são feitos (e multiplicados, quando necessário) em laboratório. Durante o desenvolvimento, recebem vacinas e nutrientes diferenciados de acordo com a "casta" que ocuparão no futuro. Os Alfas são inteligentes, altos. Os Ípsilon recebem apenas pequenas doses de oxigênio, tornando-se pequenos e pouco desenvolvidos. Todas as crianças passam por intermináveis sessões de hipnopédia: durante o sono, escutam repetidas vezes lemas que moldarão seu comportamento e pensamento durante toda a vida. Alfas escutam como é bom ser Alfa. Betas escutam como é bom ser Beta. Cada setor social é treinado a amar o que convém a todos, assim como odiar aquilo que não trará bem algum à sociedade (como a natureza! Qual o lucro advindo disso?).

Para manter todos sempre contentes e longe de qualquer sentimento desagradável, coisas como família, amor, religião e atividades solitárias são abolidas. Os indivíduos são estimulados desde o berço a nunca ficarem sozinhos (assim, é claro, fica mais difícil pensar!). Caso alguma coisa dê "errado" e surja uma vontade inexplicável de ser fiel, de ficar longe de todos e de refletir sobre as coisas, sempre haverá um frasco de "soma" por perto, uma droga perfeita criada pelo Estado e capaz de distrair a mente sem nenhum efeito colateral.

"Cada um pertence a todos" é um lema fundamental. A educação sexual começa ainda na infância, garantindo que ninguém se envolva emocionalmente com ninguém (e, caso se envolva, um grama de soma deve resolver!). Bernard Marx, no entanto, sempre se sentiu diferente, não apenas por ser menor do que todos os outros indivíduos de sua classe social: ele gostava de ficar sozinho, não gostava da forma como os homens se referiam às mulheres como se estas fossem meros pedaços de carne e preferia a lucidez a dois gramas de soma. E tinha mais: realmente gostava de Lenina.

Ameaçado pelo governo por sua conduta tão inaceitável, Bernard vai a uma "Reserva de Selvagens", um dos poucos lugares ainda não "civilizados", onde (pasmem!), existiam moscas, cachorros e... mães! Lá, ele conhece John, um "selvagem" apaixonado por poemas que nos conduz por um caminho feito de comparações entre o "atrasado" e o "moderno", mostrando-nos os reais traços desse admirável mundo novo.


Quanto mais você lê, mais você percebe que Aldous Huxley, em 1932, já sabia exatamente como seríamos. A cada página você se dá conta de estar lendo, na realidade, uma metáfora para o nosso dia-a-dia: drogas, sexo e consumo como distrações para que as pessoas sejam um todo, mas nunca indivíduos conscientes. Leitura obrigatória!

E vocês, acharam esse Mundo Novo... Admirável?

[Citação da semana] - #2





"Da próxima vez que for destruir o coração de alguém, pense duas vezes. Você pode estar lá dentro."


Fazendo meu filme 2, Paula Pimenta

[Entrevista] - Dani Vieira

Sessão para mostrar as preferências e os gostos literários de leitores do blog! Quer participar? Envie um e-mail para rdebiblioteca@yahoo.com.br com o assunto "Entrevista". A entrevistada  de hoje é a Dani Vieira, do blog Cometas e Estrelas.





Daniela ou Dani, como todos a chamam, tem 24 anos e é formada em Biblioteconomia. Começou a gostar de seriados graças ao irmão e seu preferido é The Big Bang Theory. Adora filmes de todos os tipos, mas a queda maior é por desenhos animados.


1. Qual o livro despertou seu gosto pela leitura e quando foi isso?

Comecei a gostar de leitura pequenininha, quando ia à casa de minha tia. Ela sempre foi apaixonada por todo tipo de leitura. Em sua casa há um armário imenso, cheio de livros, gibis, livros de colorir... O livro que me despertou o gosto pela leitura foi Flicts, do Ziraldo.

2. Qual seu personagem favorito do universo literário?

Pode ser mais de um? Meu personagem favorito é Mr. Darcy (de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen). E minha personagem é Clarissa (do Érico Veríssimo). Apesar de não ter terminado de ler Orgulho e Preconceito, ele me cativou muito. E Clarissa, com todo seu jeitinho meigo e puro de ser, é impossível não se apaixonar.

3. Qual o livro com que mais se identifica e por quê?

Por enquanto o livro que mais me identifiquei foi Olhai os Lírios do Campo, de Erico Veríssimo. Ele me abriu a mente em diversos assuntos, e comecei a gostar de ler mais autores clássicos ;)

4. Um livro que foi adaptado para o cinema e você gostou.

O Guardião de memórias, de Kim Edwards. O filme me emocionou... Bem diferente do que aconteceu no livro.

5. Um livro que foi adaptado para o cinema e você detestou.

O mundo de Sofia. Ficou curtíssimo, pelo tamanho e conteúdo do livro.

6. Qual seu estilo literário preferido?

Quase todos... Tenho um leve asco com livros de vampiros e companhia rsrs

7. Qual o autor que mais admira?

Pode ser mais de um, de novo? O autor é Jostein Gaarder. A autora é Lya Luft.

8. Quantos livros leu em 2013? Quais os favoritos?

Li 85 livros. Os favoritos: Mentes perigosas (Ana Beatriz Barbosa Silva); A culpa é das estrelas (John Green); coleção de Calvin e Haroldo (Bill Watterson).

9. Deixe uma citação, uma passagem de algum livro que seja especial para você.
“O mundo não é um mosaico de casualidades. Tudo se relaciona com tudo” (Jostein Gaarder in O Castelo nos Pirineus)

E esta é a estante da Dani, super fofa:




Gostaram?
Obrigada, Dani, por participar!

[Citação da semana] - #1



“Enquanto uma chora, outra ri; é a lei do mundo, meu rico senhor; é a perfeição universal. Tudo chorando seria monótono, tudo rindo cansativo; mas uma boa distribuição de lágrimas e polcas, soluços e sarabandas, acaba por trazer à alma do mundo a variedade necessária, e faz-se o equilíbrio da vida.”

Quincas Borba, Machado de Assis

[Resenha] - Livro: Abandono




O livro Abandono, Editora Record, lançado em 2013, é o primeiro livro da trilogia homônima escrita por Meg Cabot. Em 304 páginas, conta a história de Pierce, uma adolescente de 17 anos que viveu uma experiência de quase morte e, desde então, teve a vida transformada.

Inspirado no mito de Hades e Perséfone, o livro mostra que Pierce tem uma inexplicável ligação com John, ser responsável pelo controle das almas no submundo. Em momentos de desespero, quando mais precisa, ele sempre está lá. Mas o que quer com ela?
Opinião: Uma leitura que me pegou de surpresa. Não sabia que a Meg havia começado outra série, até que minha amiga me ofereceu Abandono emprestado. Fiquei absorta na leitura e gostei muito. Confesso que me desesperei um pouco com o jeito que Meg Cabot conduziu esta história, deixando muitos fatos "no ar" e só explicando páginas mais tarde. Mas talvez tenha sido este o segredo para me prender tanto.

John chama a atenção por ser um personagem com jeitinho de mal, mas que acaba agindo como protetor de Pierce. Neste livro, o final é surpreendente e me deixou com uma enorme vontade de ler a continuação (Submundo, ainda sem previsão de lançamento no Brasil).
Avaliação: 

Clique aqui e leia o primeiro capítulo.

[Resenha] - Livro: A Casa de Hades

O livro resenhado a seguir é a continuação dos livros "O Herói Perdido" (resenhado aqui), "O Filho de Netuno" e "A Marca de Atena" (resenhados aqui) e, portanto, pode conter revelações sobre o enredo destes.

A Casa de Hades, Rick Riordan
Os Heróis do Olimpo - Livro Quatro
Cortesia da Intrínseca pro Ratas

A tripulação do Argo II enfrenta dias difíceis. Inimigos espreitam no caminho para a Casa de Hades e o moral da equipe está baixo após a perda de dois integrantes importantes em Roma.

Para chegar às Portas da Morte e tentar impedir o despertar de Gaia, nossos heróis Hazel, Jason, Piper, Frank e Leo vão precisar fazer alianças perigosas, encarar deuses instáveis e combater os seguidores enviados pela sanguinária Mãe Terra para detê-los.

A situação é ainda pior para Percy e Annabeth. Após caírem no Tártaro, os dois passam fome, sede e sofrem com diversos ferimentos enquanto são caçados por vários inimigos que derrotaram ao longo dos anos e que agora surgem das sombras em busca de vingança. A única esperança da dupla de voltar para o plano mortal reside em encontrar as Portas da Morte e fechá-las de uma vez por todas. No entanto, uma legião de monstros fiéis a Gaia defende as Portas, e nem Percy nem Annabeth estão em condições de enfrentá-la.

Opinião: Após tantas aventuras, é ótimo voltar a acompanhar esse heróis tão amáveis! Por mais que as coisas fiquem cada vez mais difíceis para eles, o livro não deixa de ser engraçado e ter uma leitura rápida e fácil. A história só não me agradou tanto pelo fato de, como todos os outros livros de Rick, as coisas darem sempre tão certo. Por mais que a tarefa seja quase impossível de concluir, eles seeempre conseguem! Fora isso, afundar nas mitologias grega e romana e observar as evoluções e revelações dos personagens (oi, Nico!) é maravilhoso! Cheio de surpresas e reviravoltas, é leitura obrigatória para os fãs da série, que está quaaaase chegando ao seu fim. Espero que o próximo seja ainda melhor (e, por mais que eu ame todos os personagens, que algumas coisas deem errado!).



E vocês, já leram A Casa de Hades ou algum outro livro da coleção Os Heróis do Olimpo?

[8 on 8] - Metas para 2014

Projeto fotográfico: Oito blogueiras, todo dia 8, postarão oito fotos.
2014 começou com uma novidade para o Ratas de Biblioteca: o projeto 8 on 8. O tema escolhido por nós, para este mês, foi "Metas para 2014". Não deixem de conferir as fotos das outras sete meninas, os links estão no fim deste post. ;)

Aqui estão alguns desejos meus para este novo ano:

Ler mais de 50 livros


Economizar

Ser mais organizada

Sorrir mais! :D
Viajar 
(Esta casinha é uma lembrança da cidade de Araçuaí, que visitei no início do ano passado, post aqui.)
Estudar inglês com mais dedicação


Mais tempo com a família
Outras participantes: 
Barbara Sá  ♥ Djenifer Dias ♥ Gabriela Melo ♥ Helen Linhares ♥ Izabela Tomlinson ♥ Lavynnya Vilaça ♥ Priscila Bittencourt

[Tag] - Retrospectiva literária 2013


Boa tarde! Vi no blog da Jéssica este meme que ela encontrou no Quase Inédita, que por sua vez pegou os tópicos de avaliação no Doces Rodopios. (Ficou confuso, eu sei, mas é para que ninguém fique sem créditos). Em 2013 li bem menos do que gostaria, por volta de 40 livros, mas foram boas leituras. Então, vamos lá:

Aquarela que a Amanda pintou para mim. ♥

  • O casal mais apaixonante
Kim e Krickitt Carpenter, autores do livro baseado na história deles: Para Sempre (resenhei aqui). O casal deste livro, até por ser um casal não-ficcional, emociona. Como não se sentir tocado com recém-casados que sofrem um horrível acidente, em que a mulher perde a memória e não se lembra do marido, que faz de tudo para reconquistá-la?
  • Virei a noite lendo
Ramsés – o filho da luz,  de Christian Jacq (resenha). Um romance cheio de fatos históricos sobre o Egito, que me prenderam por algumas noites. Apesar disso, não foi uma leitura rápida.
  • Chorei de soluçar
A culpa é das estrelas, John Green. Ouvi falar muito sobre este livro antes de ter coragem de ler (estava com um pouco de preguiça, confesso). Mas, quando comecei, me surpreendi. O autor conseguiu transformar o clichê em uma leitura agradável e emocionante.
  • Livro irrelevante do ano/abandonei
Sob o sol da toscana, Frances Mayes. Achei muito chato, não consegui terminar. Como há um famoso filme com o mesmo nome, imaginei que o livro seria interessante, mas me decepcionei.
  • Grifei
Não tenho coragem de grifar/rabiscar livros! (Exceto o Destrua este diário, claro). No entanto, ao reler O Pequeno Príncipe, de  Antoine de Saint-Exupéry, percebi que ele é um conjunto de frases lindas, que me fizeram refletir muito. A inocência do principezinho, os conselhos, a impressão que te tive é de que o livro me abraçava (?).
  • Soco no estômago
Não há definição melhor do que "soco no estômago" para o livro Ensaio sobre a cegueira, de José Saramago. Com certeza, a leitura mais intensa de 2013, repleta de desespero. O livro não me fez chorar (antes tivesse feito). A sensação que tive, durante a leitura, era de que aquela aflição não cessaria. Livro forte e recomendadíssimo (resenha).

Observação: 1984, de George Orwell, também me deu uns soquinhos no estômago.
  • Morri de rir
Pobre não tem sorte, Leila Rego (resenha). Chick-Lit nacional muito divertido. 
  • Infanto-juvenil
Categoria favorita e que gera mais dúvidas. Fico com Matilda, de Roald Dahl (resenha) e Como roubar a espada de uma dragão, de Cressida Cowell, da série Como treinar seu dragão (resenha). 

Bate bola de personagens

Melhor personagem masculino: Soluço, da série Como treinar seu dragão. ♥ E o "guardador" do mundo dos mortos, John, do livro Abandono, Meg Cabot.
• Melhor personagem feminina: Alice, Lewis Carroll.
• Personagem mais chato: Cond Olaf, Desventuras em série, Lemony Snicket. Personagem insuportável! Dá vontade de bater nele e salvar os órfãos. 
• Personagem mais perturbador: Mulher do médico, Ensaio sobre a cegueira, Saramago. 
• Personagem que mais me identifiquei: Antônio, de O Mercador de Veneza, Shakespeare, por conta desta frase, que me tocou muito: "O mundo, para mim, é o mundo, apenas, Graciano: um palco em que representamos, todos nós, um papel, sendo o meu triste".


O post ficou enorme, mas foi bom relembrar o que li.
E para vocês? Quais foram as melhores e as piores leituras do ano que passou?

[Fotos] - Destrua este diário II



Como dá pra ver, a lombada já está sendo destruída naturalmente. Uma das outras ordens destrutivas é "Dê um jeito de vestir o livro". Já que não pensei em nada, por enquanto, decidi apenas enfeitar a capa um pouco, colando lacinhos nela.

Relendo Alice ([Resenha] - Livro: Alice), percebi que gosto muito de alguns personagens, como o Gato de Cheshire. Por isso, na página em que o pedido é "Escreva sem se preocupar agora", rabisquei uma das frases dele.

Em "Pinte por fora da linha", copiei a ideia de outro "destruidor", que vi numa página do Facebook. Deixei que a linha fosse o planeta e desenhei o Pequeno Príncipe com sua rosa.

E, na página reservada para impressões digitais, tentei fazer uma cerejeira. haha

Bom, essas foram as "atualizações" do diário.
Até mais!

[Sorteio] - Resultado: Eu me chamo Antônio

Olá, boa noite.

Primeiramente, gostaria de desejar um Feliz Ano Novo a todos vocês! Com muitas leituras, novos personagens e histórias legais!

E aqui está o resultado do sorteio do livro Eu me chamo Antônio. Quem venceu foi a pessoa de número 33, ou seja, Ana Caroline Irala.

Entrarei em contato com ela, que terá 48h para responder com seus dados. Caso contrário, um novo sorteio será realizado.



Obrigada a todos que participaram!