[Resenha] - Livro: Nós

"Acho que nosso casamento já deu o que tinha que dar". 
O livro "Nós", escrito por David Nicholls e publicado pela Editora Intrínseca, conta a história de Douglas Petersen, um homem que percebe que o casamento dele está por um fio. Após anos de união, o filho único do casal, Albie, está de malas prontas para a universidade. No meio da noite, a esposa Connie diz que para ela acabou.

A família, no entanto, já havia planejado uma viagem pela Europa. Connie pede que Douglas não cancele e eles partem naquela que seria a última com os três juntos.

O livro passeia pelo presente e pelo passado, relembrando o início do namoro dos dois. Connie, uma artista, era impulsiva, alegre, inconsequente e encantadora. O cientista Douglas, por outro lado, era metódico, "careta" e gostava de sempre ter o controle da situação. Eles se conheceram e, de alguma forma, se apaixonaram.

Com a chegada de Albie, no entanto, a relação dos dois foi ficando complicada, pois as diferentes opiniões que outrora eram interessantes passaram a se tornar gritantes. Douglas queria criar alguém "preparado para o futuro" e Connie, alguém que valorizasse sentimentos e intuições.

A viagem acaba saindo de tudo o que havia sido planejado. Brigas, confusões, mágoas e palavras atravessadas entraram para o roteiro. Os três se separam durante o "grand tour" e isso faz com os três consigam se redescobrir.

Avaliação: 
Opinião: Vivi com o livro "Nós" uma relação de amor e ódio. A leitura pareceu não fluir e, por isso, demorei muito tempo para conseguir terminá-lo. Como a história é narrada por Douglas, as coisas pareciam muito repetitivas - o que, devo confessar, garantia mais "realidade" ao texto.

Enquanto lia fui me identificando muito com o protagonista e, talvez por isso, não tenha gostado tanto assim do livro. rsrs A personagem Connie, tão diferente de mim, era muito mais interessante e acho que eu iria gostar mais de conhecer a família Petersen pelos olhos dela.

Impossível ler e não refletir sobre os próprios atos, sobre as dificuldades que existem no simples ato de conviver. Passei a gostar de livro de viagens há pouco tempo, mas este não me fez "viajar" como os outros. Talvez pela própria tensão de estar "na presença" de alguém tão chato como Douglas. Apesar das controvérsias, é um livro que recomendo.
E vocês?
O que andam lendo?

[5 anos do blog] - Sorteio O Pequeno Príncipe



No dia 20 de dezembro, o Ratas de Biblioteca completa 5 anos. Para comemorar, nós sortearemos, em parceria com a Editora Zahar, um exemplar do livro “O Pequeno Príncipe”! A obra francesa, escrita por Antoine de Saint-Exupéry, é um clássico da literatura e traz inúmeros ensinamentos sobre amizade, solidão e amor.

Quer levar essa edição lindinha de capa dura para casa? Então leia as regras, preencha o formulário abaixo e participe! O único item obrigatório é curtir a fanpage do blog. As demais orientações são opcionais. A cada novo item extra cumprido, você pode preencher o formulário mais uma vez, aumentando suas chances de ganhar.

(O livro já foi mencionado aqui no blog diversas vezes. Para ler a resenha dessa edição da Zahar, clique aqui). 

Regras
Para participar você só precisa:
1. Ter endereço de entrega no Brasil;
2. Curtir a página do Ratas de Biblioteca no facebook;

3. Preencher o formulário abaixo uma vez.

Chances extras
Você pode preencher o formulário mais uma vez sempre que:
1. Compartilhar a imagem da promoção no Facebook PUBLICAMENTE (não se esqueça deste detalhe, você precisa alterar a configuração de privacidade);
Exemplo de post "público".

Atenção: Não há limites compartilhamentos no Facebook e postagens no twitter, mas pedimos que seja apenas uma vez por dia, ok?

2. Divulgar o sorteio em seu blog;
3. Seguir o @rtsdebiblioteca no Twitter;
4. Tweetar "O blog @rtsdebiblioteca está completando 5 anos! http://goo.gl/snkcnB";
5. Seguir o blog publicamente no Google Friend Connect (para isso, clique em Participar deste site, na coluna à direita);
6. Seguir @rdebiblioteca no Instagram (instagram.com/rdebiblioteca).

Lembrando que as "chances extras" são opcionais! Você pode preencher o formulário mais uma vez a cada item que cumprir.


Boa sorte!
Muito obrigada pela companhia ao longo desses anos! ♥ Se tiver dúvida sobre o sorteio, pode perguntar. ;)

Você pode participar até as 23h59 do dia 20/12/15. O vencedor terá 48h para responder ao e-mail com seus dados. Caso contrário, outra pessoa será sorteada.

[Resenha] - Livro: Alucinado som de tuba

"O problema do menor é o maior" - Carlito Maia

O livro "Alucinado som de tuba", escrito por Frei Betto e publicado pela Editora Ática, conta, em 117 páginas, a história de um menino pobre chamado Nemo.

O garoto vivia em um barraco com a família, até o dia em que receberam uma ordem de despejo. O pai, inconformado com aquela situação, tentou impedir que a casa fosse derrubada e acabou sendo preso por desacato.

O lar deles foi destruído e, em meio aos escombros, a única peça que Nemo conseguiu recuperar foi o bocal da tuba que o pai vivia tocando. O garoto, acompanhado de seus irmãos e de sua mãe, partiu de cadeia em cadeia em busca do pai preso.

Em um desses lugares, Nemo também acabou detido e foi jogando em uma cela com outros adolescentes. Desde então, ele perdeu contato com a mãe e com os irmãos.

O protagonista conseguiu fugir da prisão com os demais meninos e fez amizade com um deles: Banana. O novo companheiro lhe apresentou outras crianças que viviam na rua, como Letícia (filha de uma prostituta) e Panqueca (um garotinho magricela). Nemo se juntou ao bando.

O grupo contava com a proteção de Senhor Nicolau, um homem mais velho viciado em relógios. Ele morava em uma casa cheia de "controladores do tempo" e sempre convidava os pequenos para o lanche. Apesar de não concordar com os roubos que as crianças cometiam por necessidade, Nicolau era um porto seguro quando a situação apertava.

Entre furtos, confusões e saudade, o leitor é apresentado a personagens incríveis como a travesti Cleópatra, que cuida, em casa, de pessoas marginalizadas doentes que não recebem tratamento em hospitais. O livro é voltado para o público jovem e desenvolve temas como AIDS, criminalidade, menores infratores, transexualidade, loucura e abuso de poder policial.

Avaliação: 
Opinião: Uma das melhores leituras do ano! Peguei o livro sem grandes pretensões na biblioteca e me surpreendi. Já conhecia o trabalho do Frei Betto, mas não havia lido nada direcionado ao público jovem. Recomendadíssimo! Refletir sobre direitos humanos, respeito e igualdade é cada vez mais necessário. No final do livro há uma entrevista com o autor muito interessante.