[Resenha] - Livro: Apenas um ano

"Há uma diferença entre perder algo que sabia ter e perder algo que se descobriu ter. Uma é decepção. A outra é perda de verdade". (p. 103)

O livro "Apenas um ano", escrito por Gayle Forman e editado pela Novo Conceito, é a continuação do livro "Apenas um dia" ([Resenha] - Livro: Apenas um dia).

Dessa vez, a história é narrada por Willem. Na manhã seguinte à primeira - e única - noite juntos do casal, ele sai para comprar o café da manhã e tem uma desagradável surpresa.

Espancado por skinheads, Willem é levado ao hospital e não consegue se lembrar com clareza do último dia. Aos poucos as memórias vão retornando e ele sai pela cidade desesperado em busca de sua "Lulu".

Procurar alguém de quem não se sabe o nome não é tarefa fácil. Ele deixa Paris e volta para a cidadezinha em que nasceu, na Holanda. Retornar ao lugar que um dia foi sua casa traz à tona inúmeros sentimentos difíceis de lidar. A morte do pai, a ausência da mãe, a mágoa e a saudade em contraste.

Num processo de amadurecimento e autoconhecimento, Willem vive diversas experiências românticas, viaja para países como México e Índia, reencontra velhos amigos e se aproxima de parentes com quem há tempos não tinha contato. Na mochila, no entanto, o maior desejo carregado pelo garoto é descobrir quem é e onde está Lulu.

♥ Opinião: Fiquei tão envolvida com a narrativa de Willem quanto fiquei com a de Alyson. Foi bom conhecer o outro lado da história e descobrir que o ator misterioso não era um canalha. haha Adorei essa capa também! As descrições dos locais por onde ele passou me levaram a uma verdadeira viagem. O que gostei bastante nas duas obras são as referências a obras de William Shakespeare. Recomendo a leitura de "Apenas um dia" e de "Apenas um ano"!

♥ Avaliação:

♥ Citações:

"Um pouco antes de pegar no sono, uma das minhas falas - uma das falas de Sebastian - de Noite de Reis me vem à mente: 'Se é para sonhar, então me deixe dormir!'." (p. 38)

"Existe uma linguagem universal da conversa fiada". (p. 59)

"'Está comparando o amor a... uma macha?', Lulu havia perguntado. A princípio ela tinha sido cética. 'É algo que nunca desaparece, independentemente do quanto você queira que suma.' Sim, 'mancha' parecia uma boa palavra". (p.87)
Bem, é isso. Até mais! :)

[Resenha] - Livro: Pinóquio no País dos Paradoxos

Quem acompanha o Ratas já deve ter percebido que minha irmã, Thaís, é apaixonada por Contos de Fadas. Esse estilo nunca foi meu favorito, mas não resisti a esse livro da Editora Zahar!

Em Pinóquio no País dos Paradoxos - Uma viagem pelos grandes problemas da lógica, Alessio Palmero Aprosio recria a conhecida história de Pinóquio. Ele introduz, ao longo da narrativa, novas aventuras, guiando-nos pelas reflexões lógico-matemáticas mais famosas da história.

Além de narrar a aventura de Pinóquio, boneco de madeira que sonha ser um menino de verdade, em cada capítulo nos é apresentado um paradoxo. A apresentação inicial é feita com alguma situação vivida pela boneco. Então, no final do capítulo, o Grilo Falante discorre sobre o enigma, dizendo sua origem, teorias sobre ele e, quando possível, sua solução.

Para aqueles que, como eu, se encantam com problemas matemáticos e lógicos, a leitura será uma satisfação garantida! No entanto, Pinóquio no País dos Paradoxos também é indicado para aqueles que não são assim tão fãs do assunto, pois poderão aprender mais sobre ele de uma forma descontraída, gostosa e de fácil entendimento.


- (...) A democracia não passa de um paliativo para fazer o povo acreditar que o poder finalmente está em suas mãos.
- E qual é a solução?
- Não há solução, há apenas quem tira proveito disso. 


Além da qualidade da história, vale ressaltar a beleza do livro! As cores e as ilustrações da capa são fantásticas 

 Para mergulhar nos grandes problemas da lógica, não deixe de ler Pinóquio no País dos Paradoxos!

Avaliação:

[Resenha] - Livro: Apenas um dia

"Nunca se sabe o que vai perdurar". (p. 131)
O livro "Apenas um dia", escrito por Gayle Forman e editado pela Novo Conceito, conta, em 382 páginas, a história de Allyson. A protagonista é uma menina que acaba de concluir o ensino médio e viaja para a Europa com a melhor amiga, Melanie.

O tour, contratado pelos pais, prevê passeios por lugares históricos. Allyson, sempre certinha, segue à risca o planejado. Aliás, tudo na vida dela é assim: minimamente calculado. Desde pequena, sonha em ser médica, e muito esforço promete levá-la a esse objetivo.

Na reta final da viagem, quando toma um trem para Londres com Melanie, um garoto holandês chamado Willem diz que o café da manhã dela é estranho. Ele se apresenta apenas pelo primeiro nome e fala que ela se parece com uma atriz, uma tal de Lulu. O assunto rende e ele pergunta se ela quer passar um dia com ele em Paris.

Paris não está no roteiro.

"Lulu" decide aceitar o louco convite e os dois passam um dia maravilhoso juntos. Para todos os efeitos, ela está em Londres com a amiga. Allyson e Willem se esquecem de perguntar coisas triviais como endereço, telefone ou até mesmo os nomes. Mas se encantam, se divertem e são envolvidos por um sentimento que não conseguem definir. Eles dormem juntos e, na manhã seguinte, ela está sozinha.

Decepção, tristeza, dor. Por um dia Alysson foi Lulu, cheia de coragem e vontade de viver sem planos. Agora está num país desconhecido, sem dinheiro e sem direção. Ela pede ajuda, consegue reencontrar Melanie e decide fingir que nada daquilo existiu.
"As manchas são ainda piores quando se é a única pessoa que consegue vê-las." (p. 173)
Ela vai para a faculdade, tenta seguir sua vidinha, mas, apesar do sofrimento, não consegue esquecer os momentos maravilhosos que dividiu com aquele estranho. O motivo do sumiço dele a atormenta. E se algo tiver acontecido? E se ele se feriu?

E se ele é mesmo apenas mais um babaca?

Decidida a encontrar respostas, Allyson conta com a ajuda de novos amigos e tenta lidar com o distanciamento de Melanie, a descoberta de si mesma e a desaprovação dos pais. Talvez a medicina seja um sonho deles, não dela.

Opinião: Gostei muito! Não detalhei tanto o dia deles para não perder a graça. :P Comprei esse livro quando a Novo Conceito ofereceu o segundo livro da série, "Apenas um ano", aos parceiros. Fiquei muito envolvida com a história. Além do romance principal da história, as relações de Alysson com os amigos e a família foi algo legal de acompanhar. O final do livro me deixou desesperada para ler a continuação. A capa, com essa garota de relógio refletida no vidro de um trem ou de um café, diz muito da história. Esse foi outro detalhe que me chamou a atenção. "Apenas um dia" mostra como pessoas podem transformar - para o bem ou para o mal - a vida de outras em poucas horas.
Citações:
"Não há uma linha divisória entre fingir e ser." (p. 231)
"Comi meu primeiro macaron em Paris, na minha lua de mel. Agora estou divorciada, mas alguns amores duram para sempre. Especialmente se acontecem em Paris." (p. 271)
"Talvez a perdida seja eu, procurando alguém que não tem nenhuma vontade de ser encontrado." (p. 335)
Avaliação: 

Espero que tenham gostado.
Até mais! :)

[Sorteio] - Resultado: Contos de Fadas

Boa noite, leitores!

Chegou o resultado do tão aguardado sorteio do livro "Contos de Fadas - Edição bolso de luxo", da editora Zahar. Muito obrigada a todos que participaram!

Clique na imagem para ampliá-la. 
E quem levará o livro para casa é a Barbara Maria! Ela cumpriu as regras direitinho e foi sorteada em sua participação extra, por seguir o instagram do blog. Parabéns!

Como foi mencionado no post do sorteio ([Sorteio] - Contos de Fadas: edição bolso de luxo), Barbara tem até 48h para responder o e-mail que enviei para ela. Caso contrário, outra pessoa será sorteada.

Se você não ganhou, fique de olho no blog, pois em breve teremos mais promoções. ;)

Até a próxima!