[Tag] - Sugestões

A Dani, do blog Bibliotecária Leitora, nos indicou para responder essa tag. Aqui estão as regrinhas:
  • Primeiro sugira: um filme, uma comida, uma música, uma série e um livro;
  • Sugira duas outras coisas diferentes das anteriores;
  • Indique 10 blogs.

Um filme: Procurando Nemo (meu preferido!);
Uma comida: Chorão (é uma bolachinha de nata que minha vó faz. Já vi receita na internet também);
Uma música: Vê se me esquece, interpretada por Zélia Duncan;
Uma série: Resurrection;
Um livro: Dom Casmurro - Machado de Assis.

E as outras duas são: Leia muito e passe menos tempo online! ;)


Não sou boa para indicar blogs, então deixo livre para quem quiser postar! 

[Entrevista] - Mulher Vitrola

Como sabem, sou estudante de Jornalismo. Para a disciplina de Pauta e Apuração, a professora Terezinha pediu que construíssemos um perfil. Pensei na Renata imediatamente. Acompanho o blog dela, Mulher Vitrola, há muitos anos e achei que seria uma pessoa interessante de apresentar para minha turma e para os leitores do Ratas. O resultado está logo abaixo. Espero que gostem e se encantem com a Rê Vitrola tanto quanto eu!
------

A mulher de sorriso contagiante e cabelo vermelho é ilustradora, mãe, blogueira e gateira. A entrevista, mesmo realizada virtualmente, mostrou que a simpatia de Renata não se restringe apenas aos seus textos. Uma vantagem desse contato online foi que ela não precisou sair de casa - que é, para ela, "o melhor lugar do mundo".

Por falar demais, sempre ouviu de sua mãe - com quem mantém uma relação boa e divertida - que era uma "vitrola quebrada". Embora para Renata a expressão não faça muito sentido ("Afinal, uma vitrola quebrada simplesmente não funciona, né?"), resolveu se apropriar dela para a criação do nome do blog. Essa escolha se deu, também, graças ao seu gosto pelo estilo retrô. O apelido pegou e no blog Mulher Vitrola, no ar desde 2007, publica de "tagarelices a chororô, de cores a tentativas gastronômicas", como ela mesmo define. A fanpage possui mais de 8 mil curtidas, são leitores que se identificam e interagem com a autora.

Renata P. Montenegro, conhecida na internet como Mulher Vitrola, nasceu no dia dois de março de 1985, na cidade de Duque de Caxias (RJ). Aos dois anos, teve sua primeira gatinha, a Gabi. Mal sabia ela que começava ali uma enorme paixão por felinos. Atualmente, vive em Ubatuba (SP), com seu marido e cinco gatos: Tapioca, Mimi, Mary, Molly e Nerdinho.

Quando criança, passava a maior parte do tempo sozinha e já mostrava ser criativa - característica ainda presente e que faz toda a diferença em sua profissão. A adolescência foi um pouco rebelde. "Queria aproveitar as coisas como se não houvesse amanhã, sem medo das consequências. Mas não era namoradeira", conta a blogueira.

Aos vinte anos, veio a primeira gravidez, com quedas de pressão e desmaios. Chegava ao mundo Pedro, super parecido com a mãe. Hoje ele tem oito anos e, desde os quatro, vive com o pai no Rio de Janeiro. Os dois driblam a saudade através de internet, telefonemas e algumas visitas.

A internet possui grande importância em sua vida. "Além do meu trabalho, eu gosto do tipo de relação que ela oferece com as pessoas", comenta. Rê tem muitos amigos virtuais e foi no Orkut, em 2010, que conheceu Erik Xavier, seu marido.

O casal compartilha gostos culturais, conceitos, opiniões sobre o mundo e a forma de viver. Quando questionada sobre suas diferenças, Renata destaca:  "Ele é mais mente aberta e confia mais nas pessoas do que eu". A admiração que sente por Erik é clara e os motivos vão desde a inteligência dele até o companheirismo no relacionamento. "Ele é a pessoa que mais me apoia em tudo que eu faço, meu maior incentivador", declara.

Eles são pais de Joaquim, um garotinho muito especial que "encerrou sua linda trajetória no mundo em janeiro de 2012". "Eu achei ele tão lindo, fiquei muito feliz com a ideia dele ser meu", conta sobre quando o viu pela primeira vez. O pouco tempo, no entanto, foi capaz de ensiná-la muitas coisas. "Acho que em maior parte, me ensinou que a gente precisa se manifestar, lutar por nossos direitos".

Ao longo dos anos, Renata afirma ter se tornado prática, mas não deixou de lado a postura de falar o que pensa. Ela coloca carinho em tudo o que faz e parece ser bem cuidadosa não só com aqueles que estão a sua volta, mas também com os que estão longe. Rê planeja montar uma empresinha e, no futuro, ser "uma velhinha de cabelos coloridos e tatuada".

Favoritos
  • Livros:“A Culpa é das Estrelas” (resenha), “Christiane F.” e “As Vantagens de ser invisível”.
  • Bandas: The Bird And the Bee, Marina and the Diamonds, Muse, Daft Punk.
  • Filmes: "Entrevista com o Vampiro", "As Patricinhas de Beverly Hills", "Irreversível". 

Com a palavra, os leitores do MulherVitrola.com.br!

“A Renata participava de uma série de fóruns e espaços online que eu também participava. Fomos nos tornando amigas ao longo dos anos, na vida real e virtual. Ela é uma pessoa incrível, mãe, amiga, profissional e alguém que tem vontade de conhecer novas pessoas, coisas. Escreve de um jeito delicioso e bastante pessoal”.
Ericka Moderno Rocha, São Paulo, leitora do MV há sete anos

“Sinceramente, acho ela uma fofa, muito simpática. E às vezes parece que ela é aquela amiga de anos, sabe? Chega a ser engraçado. Alguns posts do blog são muitos parecidos com o que eu penso”.
Raquel Barbosa Ribeiro, Rio de Janeiro

“Espero que um dia a encontre pessoalmente. A Rê é um amor de pessoa, gentil, legal, escreve super bem, criativa, gateira e muito esperta. Uma pessoa especial, diferente, moderna e linda”.
Fernada Maria Leite, São Paulo, leitora do MV há um ano

“Uma pessoa muito positiva, original e com estilo próprio. Adoro os posts, principalmente os de DIY. São sempre ótimas dicas. Eu acho que ela sabe escrever muito bem sobre tudo o que ela fala no blog, mas quando é sobre gatos e DIY realmente ela arrasa”.
Tabata Pessoa, São Paulo, leitora do MV há três anos

------
O que acharam desse perfil?  Para mim foi ótimo conhecê-la um pouquinho mais.
Obrigada a todos que me ajudaram com esse post! 

[Resenha] - Livro: Laços de Família

O livro "Laços de família", escrito por Clarice Lispector, em 1960, é composto por treze contos. Em 1961, o livro recebeu o Prêmio Jabuti.

De forma profunda e sensível, Clarice parece revelar ao leitor mistérios da alma humana. Os personagens são apresentados por inteiro, e, durante a leitura, é impossível não sentir o que eles mesmos estão sentindo.

Essa maneira introspectiva (ou psicológica) de narrar faz com que mesmo as situações cotidianas descritas por ela se tornem primores literários. Os contos são envolventes e, alguns deles, angustiantes.

Um almoço em família; uma esposa bêbada em um jantar de negócios do marido; uma menina cruelmente violentada; uma dona de casa que se irritou ao se deparar com um cego mascando chiclete; ovos quebrados num bonde; uma festa que reuniu inúmeros convidados não por amor, mas por convenção social; a depressão; o ser humano sendo tratado como coisa... Esses são alguns pontos levantados pela obra.

"Laços de família" marca, choca e, também, traz certa identificação ao leitor - afinal, alguns sentimentos são comuns a todos os seres humanos.
  1. Devaneio e embriaguez duma rapariga;
  2. Amor;
  3. Uma galinha;
  4. A imitação da rosa;
  5. Feliz aniversário;
  6. A menor mulher do mundo;
  7. O Jantar;
  8. Preciosidade;
  9. Os laços de família;
  10. Começos de uma fortuna;
  11. Mistério em São Cristóvão;
  12. O crime do professor de matemática;
  13. O búfalo.
Opinião: Acredito que na resenha eu já tenha deixado transparecer minha opinião. Gostei da experiência de leitura. A escrita de Clarice pode ser tão brutal e acabei percebendo que sua genialidade está nisso. Fechei o livro e continuei pensando sobre ele durante um tempão. "Preciosidade", ao trazer como tema central o abuso de uma adolescente de 15 anos, foi, para mim, o mais triste e mais intenso conto. Leitura recomendada.

Avaliação:

[Sorteio] - Livro: A menina que roubava livros

O livro "A menina que roubava livros" é envolvente, encantador e muito emocionante. Difícil conhecer alguém que não tenha ouvido falar sobre esse fenômeno literário.

Tanto o livro ([Resenha] - Livro: A menina que roubava livros), quanto o filme ([Filme] - A menina que roubava livros), já foram resenhados no blog.

Se quiser saber um pouquinho mais, está aqui um programa sobre o autor, Markus Zusak, que produzi para o "No ritmo da lombada - literatura, melodia e afeto" (parceria entre a Biblioteca Universitária e a Rádio UFMG Educativa):



E agora a melhor parte: vamos sortear, junto com a Editora Intrínseca, um exemplar do livro com a capa do filme! ;) Quer participar? Então preste atenção às regras, preencha o formulário que está no fim desse post e boa sorte!
Regras
1. Ter endereço de entrega no Brasil;
2. Curtir a página do Ratas de Biblioteca no facebook;

3. Preencher o formulário abaixo UMA ÚNICA VEZ.

Chances extras
Você pode preencher o formulário mais uma vez sempre que:
1. Compartilhar a imagem da promoção no Facebook PUBLICAMENTE (não se esqueça deste detalhe, você precisa alterar a configuração de privacidade);
Exemplo de post "público".

Atenção: Não há limites compartilhamentos no Facebook, mas pedimos que seja apenas uma vez por dia, ok?

2. Divulgar o sorteio em seu blog;
3. Comentar em qualquer post do Ratas que tenha sido publicado a partir do dia 10/05/2014.
4. Seguir o @rtsdebiblioteca no Twitter;
5. Tweetar "Quero o exemplar de "A menina que roubava livros", da @intrinseca, que as @rtsdebiblioteca estão sorteando!";
6. Seguir o blog publicamente no Google Friend Connect (para isso, clique em Participar deste site, na coluna à direita);
7. Seguir @rdebiblioteca no Instagram (instagram.com/rdebiblioteca).

Caso alguma coisa não tenha ficado clara, é só me perguntar. ;)

Você pode participar até o dia 13/06/2014. O sorteio será realizado via Random.org e o vencedor será notificado por e-mail (caso não responda em até 48h, outra pessoa será sorteada).

Boa sorte!

_____________________




[Lista] - Mães marcantes na literatura

Olá, bom dia!
Hoje é Dia das Mães! Listamos cinco mães literárias que, para nós, são marcantes e especiais.

1. Molly Weasley (Harry Potter - J. K. Rowling)

A matriarca da família Weasley, da série Harry Potter, não poderia ficar de fora dessa lista. Essa personagem é carinhosa, preocupada e muito, muito forte. Mãe de Rony, Gina, Carlinhos, Gui e dos gêmeos Fred e Jorge, é, além disso, a imagem materna que o órfão Harry acaba ganhando. Impossível não se emocionar com a garra dela que, mesmo perdendo um dos filhos, permanece sendo a base forte da querida família de ruivinhos.

2. Wendy (Peter Pan - J.M. Barrie)

Como li o livro há pouco tempo, pensei nela de imediato. Wendy é apenas uma menina, mas, ao chegar à Terra do Nunca, assume a postura de cuidado e atenção com os Meninos Perdidos. É ela quem os coloca para dormir, conta histórias, manda que tomem banho...  O engraçado é que, em certo momento do livro, os piratas ficam com inveja dos Meninos e também querem uma mãe. Para isso, decidem capturar Wendy. A personagem é carinhosa e, depois de adulta, se torna mãe de verdade, permanecendo com o mesmo jeitinho sonhador de menina.


3. Rosa Hubermann (A menina que rouba livros - Markus Zusak)

Em meio a palavrões, com um jeito fechado, Rosa Hubermann é mãe adotiva de Liesel (filha de uma comunista perseguida pelo nazismo). No início, a mulher é bruta e um pouco malvada, mas, aos poucos, fica evidente que ela realmente ama a filha. O que emociona é a sutileza do sentimento que, justamente por não ser declarado, é muito real.

4. Angela Cristina (Fala sério, mãe! - Thalita Rebouças)

"Não diga sandices, Maria de Lourdes!" A frase que marcou nossa pré-adolescência também não poderia ser ignorada. Angela, mãe de Malu (ou Maria de Lourdes, como ela insiste em dizer) provoca risadas no leitor graças a sua personalidade forte: sempre preocupada, ciumenta e doida pela filha.

5. Sally Jackson (Percy Jackson - Rick Riordan)

A relação entre mãe e filho é bonita e ela sempre cozinha algo azul para ele - um singelo gesto de carinho e amizade. Percy é um semi-deus e, por isso, possui um cheiro característico que atrai monstros. Para proteger o filho, Sally foi capaz de se casar com Gabe Ugliano, um homem machista, controlador, vagabundo e agressivo que, como única qualidade, possuía um cheiro horrível. Pois é... Esse enorme mal cheiro foi o responsável por manter Percy seguro por vários anos. O amor de Sally por Percy é indiscutível.

E para vocês?
Quais são as mães literárias que se destacam?

 Gostaríamos de mandar um beijo enorme para Angélica Leocádio - nossa mãe linda que supera qualquer mãe real ou literária!

[8 on 8] - Arco-íris

Projeto fotográfico: Oito blogueiras, todo dia 8, postarão oito fotos.
Boa tarde! O tema deste mês foi "Arco-íris"e a proposta era abusar das cores. Eu havia pensado em fazer uma foto para cada cor, mas no meio do caminho mudei de ideia e acabei misturando tudo. Como sempre, aproveitei o que tem dentro do campus da UFMG -- que é o lugar onde passo a maior parte do meu tempo. A primeira foto é de um exposição sobre Literatura Indígena que ainda está sendo montada na Biblioteca Central. As demais foram tiradas na Feira de Artesanato do Vale do Jequitinhonha, instalada na Praça de Serviços da Universidade. Espero que gostem! No fim do post estão os links dos outros blogs participantes. :)










E aí? O que acharam?
Vejam também as fotos das outras meninas:
 Agnes Neves ♥ Barbara Sá  ♥  Gabriela Melo ♥ Helen Linhares ♥ Lavynnya Vilaça ♥ Luanna Lima ♥ Thayna Pasquariello