[Entrevista] - Brenda Lorrainy

Decidimos abrir uma sessão no blog para mostrar as preferências e os gostos literários de leitores do blog! A escolhida para a primeira entrevista foi a Brenda Lorrainy, do Catavento de Ideias, que acompanha o Ratas de Biblioteca desde que ele foi criado. 

Brenda tem 18 anos e estuda Administração na UFRPE. É fã de seriados como Friends, The Vampire Diaries, Once Upon a Time e Pretty Little Liars. Não tem o costume de assistir a muitos filmes, mas gosta bastante de "Invasores", "Se ela dança eu danço" e, por amar todos os livros, a série "Harry Potter". Quando a convidei para a entrevista, respondeu prontamente e é com prazer que mostramos um pouquinho dela aqui para vocês.


1. Qual o livro que despertou seu gosto pela leitura e quando foi isso?

Na verdade eu comecei a me interessar por leitura com gibis da turma da Mônica, por volta dos meus 4 a 5 anos. Depois disso lembro de sempre estar com algum livro na mão, mesmo daqueles de contos fininhos. Comecei a me tornar leitora ávida, porém, com a clássica coleção vaga-lume de livros infanto-juvenis: O mistério do 5 estrelas, O caso da borboleta Atíria, Barcos de Papel, entre outros títulos.

2. Por que decidiu criar o Catavento de Ideias e o que ele representa para você?

Sempre me sentia muito sozinha no gosto pela leitura, quando coincidentemente conheci o Ratas de biblioteca fiquei maravilhada com essa possibilidade. Eu precisava ter o meu cantinho para falar de livros também, não sossegaria até ter! Ele representa pra mim muito, tanto porque foi a conquista de um sonho, do momento que decidi fazê-lo ao momento em que ele ficou pronto, tanto pelo fato de ser uma parte tão grande de mim que nem consigo me imaginar sem ele. Antes eu não sabia como viver ser ler, agora não me vejo de nenhuma forma que não seja lendo e compartilhando isso com o público.

3. Qual seu personagem favorito do universo literário?

Essa é uma pergunta muito difícil! São tantos livros e tantas histórias com personagens maravilhosos que até hoje não saem de minha cabeça, que escolher apenas um é injustamente esquecer muitos. Pode dizer dois? Harry Potter por absolutamente tudo que ele representou e representa na minha vida e a Laila e A cidade do sol por sua autenticidade incrível e maravilhosa capacidade de nunca sucumbir às circunstâncias.

4. Qual o livro com que mais se identifica e por quê?

Não tem especificamente um livro, mas uma série de livros que quando leio entro em uma espécie de zona de conforto pelos personagens lembrarem bastante minha personalidade ou a história se correlacionar com algo que já aconteceu comigo. Escolho O Diário da Princesa, pela Mia tão perfeitamente se encaixar com uma fase que passei e a coleção Desventuras em série porque há sempre um lado de mim que insisti em esperar um final não tão feliz.

5. Um livro que foi adaptado para o cinema e você gostou.

Depois de muito tempo pensando. Só consigo pensar em Harry Potter.

6. Um livro que foi adaptado para o cinema e você detestou.

Todos os outros filmes. Brincadeira. Hã...Como detestar é uma palavra que vai além de não gostar, escolho Crepúsculo. Nem preciso dizer mais nada né?

7. Qual seu estilo literário preferido?

Fantasias e distopias.

8. Qual o(a) autor(a) que mais admira?

Agatha Christie. A cada livro que leio da autora sempre fico maravilhada com sua total capacidade de enganar o leitor. Ela é simplesmente genial na construção dos livros!

9. Quantos e quais livros leu em 2013?

Até agora li 12 livros! Foram eles: Laços inseparáveis, Cinquenta tons mais escuros, Quem poderia ser uma hora dessas?, Antes de dormir, Juntos no paraíso, Delírio, Ecos da morte, Desejos dos mortos, Extraordinário, Lonely Hearts Club, Cinquenta tons de liberdade e por fim A maldição do tigre.

10. Deixe uma citação, uma passagem de algum livro que seja especial para você.

"Às vezes sentava-se na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo.
Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante."
Clarice Lispector

Eu simplesmente adoro essa passagem, nunca consegui encontrar um que me fizesse nutrir maior sentimento de identificação.



E agora, só para matar a gente de inveja, fotos da estante e prateleira onde ela guarda seus livros:









Gostaria de agradecer à Brenda pela participação e deixar o convite aberto a quem quiser participar dessa sessão! (Envie um e-mail para rdebiblioteca@yahoo.com.br com o assunto "Entrevista").

E aí? Identificaram-se com as respostas dela? O que acharam?



[Resenha] - Percy Jackson e os Olimpianos

Sempre amei mitologia grega. /amei Por isso, quando um amigo veio me falar sobre um tal de Percy Jackson, logo mostrei interesse. Fui arrumando livro por livro emprestado, comprei o quarto, li o quinto pela internet e simplesmente me apaixonei pela saga! Tornou-se, com muita facilidade, uma das minhas séries favoritas.

A série foi escrita por Rick Riordan e é composta por cinco livros mais uma edição "extra", Os Arquivos do Semideus.

1 - O Ladrão de Raios
2 - O Mar de Monstros
3 - A Maldição do Titã
4 - A Batalha do Labirinto
5 - O Último Olimpiano

Nessa saga incrível, descobrimos que os deuses gregos são reais e vivem mais perto do que imaginamos, nos Estados Unidos. E tem mais: eles continuam tendo filhos com mortais, de forma que novos semideuses aparecem o tempo todo e precisam ser resgatados por sátiros e enviados ao Acampamento Meio-Sangue, antes que muitos monstros apareçam.

Muitas aventuras surgem no caminho de Percy, como resgatar o raio mestre de Zeus, procurar o Velocino de Ouro, atravessar um  perigoso labirinto... até mesmo lutar contra o perigo titã Cronos. Tudo isso, é claro, acompanhado por seus amigos, Annabeth Chase e Grover Underwood.

Se você ama fantasia, aventura e mitologia, não pode deixar de ler essa coleção! /beijo E vocês? Já leram algum livro da série? Gostam tanto quanto eu? Contem-me pelos comentários /piscada

[Notícia] - "Perca um livro" em Pouso Alegre

Vi no G1 essa notícia e achei a iniciativa muito interessante. A escritora Mariângela Padilha implantou no município de Pouso Alegre (sul de Minas Gerais) o projeto "Perca um livro" que nada mais é do que o "abandono" de livros em locais públicos da cidade. Afixada nas contra-capas deles está uma mensagem que explica o que se trata e pede que, após o término da leitura, os livros sejam passados a diante (ou para algum amigo ou que seja deixado em outro local público). Dessa forma, mais pessoas terão contato com os livros e a curiosidade pode aproximar novos leitores desse hábito tão maravilhoso. Cerca de 70 exemplares estão em circulação, mas novos parceiros já doaram mais de 200 outros e a tendência é que o projeto continue crescendo.

Já viram algo parecido em outro lugar? Na cidade de vocês existiu/existe uma atividade semelhante?


[Viagem] - "Vale a pena"

Duas semanas atrás eu estava no Vale do Jequitinhonha, na cidade de Araçuaí-MG. Viagem de um programa de férias da UFMG, do Polo Jequitinhonha. A oficina que dei foi de Web, mais especificamente a produção de um portfólio digital para a companhia de teatro Ícaros do Vale. Os meninos com que trabalhamos eram deste mencionado grupo de teatro e do coral Araras Grandes.

Foram dias de muito aprendizado profissional e pessoal. Trabalhar em equipe, entender um pouco da história do lugar, participar da oficina de outro núcleo (xilogravura e encadernação), fazer amigos de que me lembrarei sempre estão entre os melhores proveitos que tirei da experiência. Só ali, vendo de perto como as coisas são, é que entendi que a minha concepção sobre lá era totalmente equivocada. O Vale é lindo, o Vale é encantador, o Vale foi um surpresa boa.

Queria fugir do estereótipo "pobreza" que estamos cansados de ouvir sobre a região e nem mencionar essa palavra em meu texto. Porém é impossível não deixar claro que de pobreza não vi nada. Pobre é o povo que não reconhece sua importância, pobre é o povo que não valoriza a cultura local, pobre é o povo que deixa sua opinião cheia de informações pré-estabelecidas e não faz nada para sair disso. Pobre de quem pensa que o Vale é pobre.

O artesanato, as histórias, os medos, as construções de Araçuaí abandonadas após a enchente de 79, as personagens marcantes como a "Dona Onça do Coreto", os sorrisos, os comentários das crianças, as preocupações dos adultos, a cordialidade e a receptividade dos araçuaienses, o carinho e os abraços serão difíceis de remover da minha mente. Trouxe pra casa chaveiros, brincos, santos de barro, mas as verdadeiras "lembrancinhas" da cidade são os momentos que lá vivi. As  cores vivas que lá permaneceram. A quentura da temperatura e das almas daquele lugar. Valeu a pena. /sorriso

 

A maior parte das fotos é da câmera do querido Thiago Flores. Clique para ampliá-las!

[Parceiros] - "Ainda não te disse nada", em inglês

É com muita alegria que venho contar a vocês que o livro "Ainda não te disse nada", do querido Maurício Gomyde, será traduzido e publicado nos países de língua inglesa! É o Brasil ganhando destaque lá fora com o trabalho bem feito na literatura. Para conferir a resenha do livro, já postada no Ratas, clique aqui.



Não deixe de conhecer também outros romances do autor: O rosto que precede o sonho e O mundo de vidro.