[Sorteio] - Resultado: Como eu era antes de você

Boa tarde, leitores!

Finalmente estou aqui com o resultado do sorteio do livro "Como eu era antes de você", de Jojo Moyes. Se você não conhece a história, leia a resenha em [Resenha] - Livro: Como eu era antes de você.

Mais de 130 pessoas se inscreveram no sorteio, que foi realizado no Random.org. E quem vai levar o livro para casa é...
Parabéns, Bruna! 

Lembrando que a vencedora deve responder meu e-mail com os dados em até 48h. Caso contrário, outra pessoa será sorteada. O envio é responsabilidade da Editora Intrínseca.

Muito obrigada a todos que participaram! :) Fiquem de olho no blog, pois sempre tem sorteio por aqui.

Beijos e até mais!

[Entrevista] - Isadora


Bom dia, leitores!

A entrevistada de hoje é a Isadora, do blog Ler é literário. Ela mora em Viçosa do Ceará, é formada em Técnico em Informática pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e tem a leitura como passatempo preferido. Além disso, Isadora gosta de ouvir música, escrever histórias, ver séries e filmes e blogar.

Qual o livro despertou seu gosto pela leitura e quando foi isso?
Os primeiros livros que li foram da coletânea do "Sítio do Pica-Pau Amarelo", de Monteiro Lobato. A partir deles comecei a visitar a biblioteca da escola e a me apaixonar pela literatura.

Qual seu personagem favorito do universo literário?
Eita, são tantos que fica difícil escolher um. Mas vou citar aqueles que mais me marcaram: Carolina (A Moreninha), Elizabeth e Darcy (Orgulho e Preconceito), Harry e Hermione (Harry Potter), Edward (Saga Crepúsculo), Travis Maddox (Belo Desastre), Christian e Ana (Trilogia Cinquenta Tons de Cinza), Sofia e Ian Clarke (Série Perdida), Hazel e Gus (A Culpa é das Estrelas), Margo (Cidades de Papel), Ablon (A Batalha do Apocalipse), Denyel (Série Filhos do Éden), Katniss (Trilogia Jogos Vorazes), Danny (Obrigada pelo Chocolate) e Lucy e Harris (Catching Lucy).

Com qual livro mais se identifica e por quê?
"Catching Lucy" e "Craving Lucy", da série "Lucy & Harris", da autora Terri Anne Browning. Eu me identifico com esse livro porque eu me identifico com a personagem Lucy por ela acabar se apaixonando pelo melhor amigo dela. Ele é aquele amigo de infância e ela se afasta dele. Vocês já devem ter entendido o motivo da identificação aí rsrsrsrs (vergonha). Mas também eu me identifico porque ela ama a família, é romântica, determinada e gosta de escrever.

Harry Potter
Um livro que foi adaptado para o cinema e você gostou.
Todos os filmes de Harry Potter e da saga Crepúsculo, Orgulho e Preconceito e A Culpa é das Estrelas.

Um livro que foi adaptado para o cinema e você detestou.
Cidades de Papel. Não é bem detestar, mas achei a adaptação meio fraca.

Qual a sua “zona de conforto” literária?
Eu gosto muito de ler romance, seja ele aquele clichê ou erótico e gosto muito do gênero fantasias. Mas eu me aventuro a conhecer outros gêneros também.

Quais são os autores que você admira?
Com certeza são John Green, Nicholas Sparks, Terri Anne Browning, Jane Austen, Carina Rissi e Eduardo Spohr.

Um mundo fictício em que você gostaria de viver.
Eu gostaria muito de viver em Hogwarts, mas também gostaria de viver em Nárnia, Illéa, Forks e em Pemberley.

Quantos livros leu em 2016? Qual o melhor até agora?
Eu estou no meu 11º livro desse ano porque está um tanto corrida minha vida agora. Mas os melhores foram "Julieta", da Anne Fortier, e "Pasta Senza Vino", do Eduardo Krause.

Quais são suas bandas preferidas?
Eu sou bastante eclética em relação a música, mas eu amo Rock e minha banda preferida é 30 Seconds To Mars. Mas gosto de Charlie Brown Jr., ColdPlay, Evanescence, Florence & The Machine, Guns N’ Roses, Halestorm, Hurts, Malta, Maroon5, Muse, Nightwish, Roxette e Within Temptation.

A Culpa é das Estrelas
E os melhores filmes?
"A Culpa é das Estrelas", "Amor e Inocência", "Confissões de Adolescente", "Dez Coisas que Eu Odeio em Você", "Marley & Eu", "Orgulho e Preconceito", "Simplesmente Acontece" e "Um Amor Para Recordar".

Você acompanha alguma série de TV? Se sim, quais?
Sim, eu acompanho!!! Atualmente, eu só ando assistindo American Horror Story, Doctor Who, Once Upon a Time, Shadowhunters e The Big Bang Theory. Eu dei uma pausa em The Vampire Diaries e The Originals, mas pretendo voltar a ver.

Deixe uma citação, uma passagem de algum livro que seja especial para você.
Eu vou colocar duas citações de dois livros especiais pra mim:
“Vai chegar um dia — eu disse — em que todos vamos estar mortos. Todos nós. Vai chegar um dia em que não vai sobrar nenhum ser humano sequer para lembrar que alguém já existiu ou que nossa espécie fez qualquer coisa nesse mundo. Não vai sobrar ninguém para se lembrar de Aristóteles ou de Cleópatra, quanto mais de você. Tudo o que fizemos, construímos, escrevemos, pensamos e descobrimos vai ser esquecido e tudo isso aqui — fiz um gesto abrangente — vai ter sido inútil. Pode ser que esse dia chegue logo e pode ser que demore milhões de anos, mas, mesmo que o mundo sobreviva a uma explosão do Sol, não vamos viver para sempre. Houve um tempo antes do surgimento da consciência nos organismos vivos, e vai haver outro depois. E se a inevitabilidade do esquecimento humano preocupa você, sugiro que deixe esse assunto para lá. Deus sabe que é isso o que todo mundo faz.” (A Culpa é das Estrelas – John Green)

“Todo mundo tem altos e baixos. Não sou diferente. Eu tive alguns altos realmente incríveis, mas também tive alguns baixos horríveis.” (Catching Lucy – Terri Anne Browning)
Além de atualizar o blog Ler é literário, Isadora tem um canal no YouTube e é colaboradora do blog Malucas Por Romances.

Muito obrigada pela entrevista, Isadora!
...
Caso você queira mostrar a sua estante, ser entrevistado, fazer parceria ou jogar conversa fora, envie um e-mail para rdebiblioteca@yahoo.com.br

[Resenha] - Livros infantis: Crianças famosas


A série "Crianças famosas", da Editora Callis, mostra como teria sido a infância de personalidades conhecidas mundialmente. Solicitei "Aleijadinho" e "Chiquinha Gonzaga" e achei os dois livros muito fofos.

Acredito que eles sejam uma boa forma de introduzir aos pequenos leitores a história da cultura brasileira. Apesar de terem enredos um pouco ficcionais, os livros retratam pessoas reais. São sugestões para os adultos lerem com as crianças ou para as crianças já alfabetizadas lerem sozinhas. Os projetos gráficos trazem muitas ilustrações e fontes grandes.

O livro "Aleijadinho", escrito por Carla Caruso e ilustrado por Angelo Bonito, fala sobre o artista barroco Antônio Francisco Lisboa, famoso por suas esculturas. O mestre aparece no livro como uma criança vivendo na cidade de Vila Rica (atual Ouro Preto), quando o Brasil ainda era colônia de Portugal. As relações familiares e os primeiros sinais do dom de Aleijadinho são mencionados na obra.

Em "Chiquinha Gonzaga", a arte em destaque é a música. Também ilustrado por Angelo Bonito, o livro foi escrito por Edinha Diniz. A menina Chiquinha aparece encantada pelos sons das ruas do Rio de Janeiro. Cantos de vendedores, hinos religiosos, pequenas bandas, assobios... tudo isso inspirava a pequena compositora.

A coleção conta ainda com livros sobre outras crianças famosas como Picasso, Chopin, Cartola, Leonardo da Vinci e Portinari.
* cortesias da editora

[Resenha] - Livro: Estação Onze

Bom dia, leitores!

A resenha de hoje é de uma distopia que eu amei. Ao falar dos personagens, creio que mais confundi do que expliquei. De qualquer forma, espero que aproveitem e que se sintam instigados a conhecer essa obra. Valerá a pena!
"A revelação da privacidade: ela pode andar pela rua e absolutamente ninguém sabe quem ela é. Talvez ninguém que não tenha crescido numa cidade pequena seja capaz de entender como isso é belo, como o anonimato da vida na cidade dá uma sensação de liberdade." (p. 79)

O livro "Estação Onze", escrito por Emily St. John Mandel e publicado pela Intrínseca, apresenta o mundo depois da morte de mais de 90% da população. Uma mutação da gripe suína, iniciada na Geórgia, se espalhou pelo globo em uma velocidade surpreendente e, em poucos dias, a civilização como conhecemos foi desfeita.

A história tem 318 páginas e acompanha a vida de seis pessoas que, de certa forma, estavam conectadas. A narrativa vai e volta no tempo, com trechos que lembram a vida dos personagens antes do colapso e outros que descrevem a luta por sobrevivência no novo mundo.

Sem energia elétrica, medicamentos e combustíveis, as pessoas precisam se readaptar àquela situação. Aqueles que nasceram após o Ano Um não conseguem compreender coisas como apertar um interruptor e o lugar se encher de luz. O voo dos aviões, as comidas em caixinhas... Tudo é distante e, aos olhos dos jovens, surreal.
"O inferno é a ausência das pessoas de quem temos saudade" (p. 141)
O famoso ator Arthur Leander morreu aos 51 anos de idade no último dia antes da calamidade. Miranda, uma de suas ex-mulheres, escrevia histórias em quadrinhos e levou anos para ter coragem de deixar alguém ler. Quatro revistinhas de "Estação Onze", criadas por ela, foram dadas ao ex-marido duas semanas antes de ele morrer enquanto interpretava Rei Lear, de Shakespeare.

Um par foi enviado por Arthur ao filho Tyler, que morava em Jerusalém com Elizabeth (outra ex-mulher de Arthur). O outro, foi dado a Kirsten, uma atriz mirim que estava no elenco da última peça apresentada pelo conhecido artista.  
"Talvez um modo mais justo de expressar minha ideia seja dizer que o mundo dos adultos está repleto de fantasmas" (p.  158)
instagram.com/rdebiblioteca
Kirsten ficou marcada para sempre pela figura de Arthur. Anos depois, sobrevivendo como atriz em uma terra sem leis, colecionava recortes de revistas que falavam sobre ele. Ela guardava as revistas em quadrinho mesmo sem se lembrar ao certo quando é que as tinha ganhado.

Clark, amigo de Arthur, e Jeevan, um homem que tentou reanimá-lo quando o ator caiu no palco, são outros dois personagens descritos no livro. Emily St. John Mandel instiga, envolve e faz com que o leitor reflita sobre as inúmeras facilidades que a humanidade desfruta na atualidade.
"Ultimamente, ando pensando na imortalidade. No que significa ser lembrado e pelo que desejo ser lembrado, e outras questões relativas à fama e à memória. Adoro filmes antigos. Vejo na tela os rostos de pessoas que morreram muito tempo atrás e penso que elas nunca vão morrer de fato". (p. 181)
Opinião: Melhor leitura de 2016 até agora! Fiquei sem fôlego, gostei demais desse livro! Acho que na resenha não consegui explicar muito bem a história. Por ela ir e voltar no tempo toda hora, fica difícil colocar os fatos em ordem cronológica. E, na verdade, isso tiraria a graça de todo o enredo. Mas o importante é que saibam que é fascinante. :P

"Estação Onze" estava parado na minha estante há um tempão e, alguns meses atrás, meu pai pegou emprestado. Ele ficou super envolvido e gostou, por isso eu quis ler também. Devia ter começado bem antes!! Fui realmente transportada para o mundo descrito por Emily St. John Mandel. Recomendo totalmente esta leitura. Além de todo esse caos social e humano, a autora traz ainda uma crítica muito bem feita ao fanatismo religioso.

No instagram, uma moça comentou comigo que "Estação Onze" é uma cópia de "The Stand", de Sthephen King. Como não li este, não posso opinar. Alguém já leu e pode me falar se a história é realmente parecida?

Avaliação:

Beijo e até o próximo post!

[Resenha] - Livro infantil: O mistério da múmia

Boa noite, leitores! Hoje trago mais uma dica de livro para crianças. :)


O livro infantil "O mistério da múmia", escrito pelo sueco Martin Widmark e ilustrado por Helena Willis, tem 82 páginas. A obra tem tradução de Dina Lund e foi publicada no Brasil pela Callis Editora.

A história fala dos amigos Marco e Maia, que gostam de desvendar mistérios encontrados em jornais. Depois de lerem a notícia de que uma múmia teria roubado um dos mais valiosos quadros do museu da cidade, eles decidiram investigar.

Imagens das câmeras de segurança realmente mostravam um ser enfaixado praticando o roubo, mas aquilo não convenceu os jovens curiosos.

Como a polícia não conseguia descobrir nada, a diretora do museu, chamada Bárbara Palm, permitiu que as duas crianças assumissem o caso. Depois de uma longa conversa com a mulher, eles passaram a suspeitar de outros funcionários do museu, como o vigia noturno e a faxineira do prédio.

O livro faz parte da série "Agência de detetives Marco & Maia". Será que a dupla vai encontrar mais essa resposta?

Avaliação: 
* cortesia da editora

[Resenha] - Livro infantil: O tempo voa, papai!


Primeira resenha de literatura coreana do blog! O livro infantil "O tempo voa, papai!", de Bo Geum Cha e Jim Kyung Lee, Callis Editora, conta a história do pai de Flora. Ele estava sempre ocupado e, por isso, não aproveitava bons momentos com a filha.

O pai recebeu, então, a visita da fada que realiza desejos de aniversário. Flora havia pedido no aniversário de cinco anos que ele chegasse mais cedo. Como a comemoração de seis anos dela estava se aproximando, a fadinha decidiu conversar com o homem para que a garota tivesse o pedido atendido.

No estilo "fantasmas do Natal", a fada mostrou  para o homem vários momentos em que Flora quis a companhia dele. Semanas e meses se passaram sem que ele estivesse junto dela. Ilustrações carregadas de sensibilidade acompanham o texto em todas as páginas do livro.

"O tempo voa, papai!" faz parte da série "Tan tan", que apresenta conceitos matemáticos em histórias. O enredo é pano de fundo para apresentar aos pequenos leitores as unidades de medida de tempo. As últimas páginas da obra trazem atividades para serem realizadas com/pela criança depois da leitura.

Avaliação:



Fica a dica para quem tem criança na família! :) Espero que elas gostem tanto quanto eu! haha

* cortesia da editora