[Resenha] - Livro: Apenas um ano

"Há uma diferença entre perder algo que sabia ter e perder algo que se descobriu ter. Uma é decepção. A outra é perda de verdade". (p. 103)

O livro "Apenas um ano", escrito por Gayle Forman e editado pela Novo Conceito, é a continuação do livro "Apenas um dia" ([Resenha] - Livro: Apenas um dia).

Dessa vez, a história é narrada por Willem. Na manhã seguinte à primeira - e única - noite juntos do casal, ele sai para comprar o café da manhã e tem uma desagradável surpresa.

Espancado por skinheads, Willem é levado ao hospital e não consegue se lembrar com clareza do último dia. Aos poucos as memórias vão retornando e ele sai pela cidade desesperado em busca de sua "Lulu".

Procurar alguém de quem não se sabe o nome não é tarefa fácil. Ele deixa Paris e volta para a cidadezinha em que nasceu, na Holanda. Retornar ao lugar que um dia foi sua casa traz à tona inúmeros sentimentos difíceis de lidar. A morte do pai, a ausência da mãe, a mágoa e a saudade em contraste.

Num processo de amadurecimento e autoconhecimento, Willem vive diversas experiências românticas, viaja para países como México e Índia, reencontra velhos amigos e se aproxima de parentes com quem há tempos não tinha contato. Na mochila, no entanto, o maior desejo carregado pelo garoto é descobrir quem é e onde está Lulu.

♥ Opinião: Fiquei tão envolvida com a narrativa de Willem quanto fiquei com a de Alyson. Foi bom conhecer o outro lado da história e descobrir que o ator misterioso não era um canalha. haha Adorei essa capa também! As descrições dos locais por onde ele passou me levaram a uma verdadeira viagem. O que gostei bastante nas duas obras são as referências a obras de William Shakespeare. Recomendo a leitura de "Apenas um dia" e de "Apenas um ano"!

♥ Avaliação:

♥ Citações:

"Um pouco antes de pegar no sono, uma das minhas falas - uma das falas de Sebastian - de Noite de Reis me vem à mente: 'Se é para sonhar, então me deixe dormir!'." (p. 38)

"Existe uma linguagem universal da conversa fiada". (p. 59)

"'Está comparando o amor a... uma macha?', Lulu havia perguntado. A princípio ela tinha sido cética. 'É algo que nunca desaparece, independentemente do quanto você queira que suma.' Sim, 'mancha' parecia uma boa palavra". (p.87)
Bem, é isso. Até mais! :)

Comente com o Facebook

4 comentários:

  1. tinha várias expectativas com a história e algumas não foram supridas, no geral eu esperava por mais emoção neste livro
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério, Thaila? É, não tem muita emoção mesmo. É um livro mais reflexivo, né?
      Obrigada pela visita e pelo comentário! Bjs

      Excluir
  2. Gosto de livros cujo personagem viaja por vários lugares em busca de si mesmo... talvez porque eu mesma viva essa experiencia de buscar a mim mesma enquanto realizo tarefas aleatórias. A Gayle é uma autora que divide os blogueiros que sigo, uns gostam outros nem tantos e eu tenho curiosidade ler algo dela... quem sabe encare esses?!?!


    Pandora
    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Pandora! =)

      Bom te ver por aqui!

      Sim, leia esses dois para "experimentar". rs

      Beijo

      Excluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)