[Resenha] - Livro: Apenas um dia

"Nunca se sabe o que vai perdurar". (p. 131)
O livro "Apenas um dia", escrito por Gayle Forman e editado pela Novo Conceito, conta, em 382 páginas, a história de Allyson. A protagonista é uma menina que acaba de concluir o ensino médio e viaja para a Europa com a melhor amiga, Melanie.

O tour, contratado pelos pais, prevê passeios por lugares históricos. Allyson, sempre certinha, segue à risca o planejado. Aliás, tudo na vida dela é assim: minimamente calculado. Desde pequena, sonha em ser médica, e muito esforço promete levá-la a esse objetivo.

Na reta final da viagem, quando toma um trem para Londres com Melanie, um garoto holandês chamado Willem diz que o café da manhã dela é estranho. Ele se apresenta apenas pelo primeiro nome e fala que ela se parece com uma atriz, uma tal de Lulu. O assunto rende e ele pergunta se ela quer passar um dia com ele em Paris.

Paris não está no roteiro.

"Lulu" decide aceitar o louco convite e os dois passam um dia maravilhoso juntos. Para todos os efeitos, ela está em Londres com a amiga. Allyson e Willem se esquecem de perguntar coisas triviais como endereço, telefone ou até mesmo os nomes. Mas se encantam, se divertem e são envolvidos por um sentimento que não conseguem definir. Eles dormem juntos e, na manhã seguinte, ela está sozinha.

Decepção, tristeza, dor. Por um dia Alysson foi Lulu, cheia de coragem e vontade de viver sem planos. Agora está num país desconhecido, sem dinheiro e sem direção. Ela pede ajuda, consegue reencontrar Melanie e decide fingir que nada daquilo existiu.
"As manchas são ainda piores quando se é a única pessoa que consegue vê-las." (p. 173)
Ela vai para a faculdade, tenta seguir sua vidinha, mas, apesar do sofrimento, não consegue esquecer os momentos maravilhosos que dividiu com aquele estranho. O motivo do sumiço dele a atormenta. E se algo tiver acontecido? E se ele se feriu?

E se ele é mesmo apenas mais um babaca?

Decidida a encontrar respostas, Allyson conta com a ajuda de novos amigos e tenta lidar com o distanciamento de Melanie, a descoberta de si mesma e a desaprovação dos pais. Talvez a medicina seja um sonho deles, não dela.

Opinião: Gostei muito! Não detalhei tanto o dia deles para não perder a graça. :P Comprei esse livro quando a Novo Conceito ofereceu o segundo livro da série, "Apenas um ano", aos parceiros. Fiquei muito envolvida com a história. Além do romance principal da história, as relações de Alysson com os amigos e a família foi algo legal de acompanhar. O final do livro me deixou desesperada para ler a continuação. A capa, com essa garota de relógio refletida no vidro de um trem ou de um café, diz muito da história. Esse foi outro detalhe que me chamou a atenção. "Apenas um dia" mostra como pessoas podem transformar - para o bem ou para o mal - a vida de outras em poucas horas.
Citações:
"Não há uma linha divisória entre fingir e ser." (p. 231)
"Comi meu primeiro macaron em Paris, na minha lua de mel. Agora estou divorciada, mas alguns amores duram para sempre. Especialmente se acontecem em Paris." (p. 271)
"Talvez a perdida seja eu, procurando alguém que não tem nenhuma vontade de ser encontrado." (p. 335)
Avaliação: 

Espero que tenham gostado.
Até mais! :)

Comente com o Facebook

3 comentários:

  1. olá, gostei muito dessa resenha, vou tentar encontrar esse livro para ler.
    Suas resenhas são legais.

    www.geracaoselfie.blog.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Leandro! :) Que bom que gostou!

      Excluir
  2. Olá Thais!
    Confesso que a escrita da Gayle em Se Eu Ficar não me agradou muito,mas pelo que você detalhou bem,acho que vou conseguir me envolver mais com Apenas Um Dia....vamos dar uma chance pra autora kkkkkkkk
    Abraços!!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)