[Resenha] - Livro: Me chame pelo seu nome

Por - 01 março

Capa do livro Me chame pelo seu nome
Capa do livro Me chame pelo seu nome
O livro "Me chame pelo seu nome" ("Call me by your name"), publicado pela Editora Intrínseca, deu origem à obra homônima que concorre ao Oscar 2018 de Melhor Filme. Escrito por André Aciman, tem 288 páginas e relata a descoberta da homossexualidade de Elio, de 17 anos.

O jovem estuda música e é filho único de uma família privilegiada financeira e culturalmente. Junto dos pais, ele vive em uma casa afastada do movimento da cidade, no interior da Itália. Na propriedade, também moram três empregados, que cuidam dos pomares, da limpeza, da organização e de todo o resto.

Com muito tempo livre, a família é leitora e constantemente recebe convidados para jantares e discussões filosóficas. No fim da adolescência, Elio é maduro do ponto de vista educacional, mas ainda desponta na maturação sexual.

As coisas vão se transformando após a chegada de Oliver. O escritor de 24 anos é um hóspede de verão da casa. Os pais de Elio escolhem, todos os anos, um candidato para passar as férias com eles, numa espécie de intercâmbio.

Oliver veio dos Estados Unidos e está escrevendo um livro. O clima bucólico e onírico do verão italiano é inspirador e estimulante. Em meio a banhos de piscina, indiferença, palavras profundas, olhares intensos e carinhos às escondidas, cresce o desejo entre Elio e Oliver. Mas o romance tem data certa para acabar e isso - junto à diferença de idade e aos romances paralelos vividos por ambos - complica as coisas.
♥ Opinião: Eu criei muita expectativa com relação a este livro e não aconselho que ninguém faça o mesmo que eu. hahaha Fui com muita sede e acabei me decepcionando um pouco. O livro é bom, envolvente, mas não faz muito o meu estilo. Como é narrado do ponto de vista de Elio, as cenas de sexo são muito intensas. (Eu sei, sou pudica). A impressão que tive é que o desejo entre os dois era infinitamente maior que o sentimento. Isso, obviamente, é fundamental para a descoberta da sexualidade. A quase devoção do narrador por Oliver me lembrou um pouco a Bela, de "Crepúsculo", descrevendo o Edward (por favor, não briguem comigo!). Assim que terminei a leitura, assisti ao filme. Achei o vídeo mais poético e romântico. Ali, na atuação de Timothée, percebi um amor de Elio por Oliver que as palavras do personagem, no livro, não deixaram tão evidente. Quando o livro dá um salto, após o término do verão, há um bonito diálogo entre Elio e o pai. Apesar de ser um pouco forçado, do tipo "Venha aqui, filho, vou te dar muitos conselhos de ouro de uma só vez e revelar segredos profundos", eu chorei bastante. Tanto durante a leitura, quanto assistindo ao filme. Ainda não sei se gostei do livro... Pretendo reler a obra depois que passar essa onda de adoração mundial para refletir melhor. 
Avaliação:

Confira o trailer do filme, estrelado por Timothée Chalamet (Elio), que também concorre ao Oscar de Melhor Ator:


Quer tirar suas próprias conclusões sobre o livro? Fique atento ao nosso instagram (@rdebiblioteca), pois vamos sortear um exemplar de "Me chame pelo seu nome" por lá!

* cortesia da editora Intrínseca

1 comentário(s)

  1. Olá Thaís!!!
    Eu acho que vou ter que deixar passar esse falatório sobre o livro e filme para enfim pegar nele, pois estou com as expectativas muito altas e tenho medo de me decepcionar como você.
    Mas desde de que vi sinopse e vi o trailer do filme estou curiosa pela história, espero gostar do livro.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)


Ratas de Biblioteca 2010-2018.Conteúdo desenvolvido por Amanda Leocádio e Thaís Leocádio. Todos os direitos reservados.