[Resenha] - Filme: As duas Irenes

Por - 26 fevereiro

Cena do filme As duas Irenes (2017)
Cena do filme As duas Irenes (2017)

O filme “As duas Irenes”, dirigido por Fabio Meira, foi lançado em 2017. Ele conta a história de duas meninas que possuem a mesma idade, o mesmo nome e o mesmo segredo.

De um lado, há a Irene interpretada por Priscila Bittencourt. Ela é a filha do meio de Mirinha (Susana Ribeiro), tem 13 anos e é sempre apontada como criança em comparação à irmã debutante, de 15, chamada Solange (Maju Souza). Ela passa mais tempo brincando com a irmãzinha mais nova, Cora (Ana Reston) e se sente deslocada. O corpo da personagem não se desenvolveu ainda, deixando-a neste “vão” entre a infância e a adolescência.

Já Isabela Torres dá vida à outra Irene, filha da costureira Neuza. Corajosa, simpática, cheia de curvas e opiniões, a menina participa de concursos de beleza, namora e tem o frescor da liberdade. Ela mora com a mãe costureira e tem um pai que vive viajando.

Cartaz do filme As duas IrenesO destino das duas meninas se encontra e uma amizade forte nasce quando a “primeira” Irene descobre que elas compartilham mais uma coisa: o pai. Marco Ricca é Tonico. Ele se desdobra e é o “pai de família" das duas famílias, sem deixar que nenhuma das mulheres descubra. De um lado, a esposa costureira numa casa simples, com uma filha única. De outro, uma esposa ligada a aparências, em uma casa chique, grande, com três filhas e uma empregada, Madalena (Teuda Bara).

E é o nome desta amiga e confidente que ajudou a criá-la, que Irene usa para se apresentar à irmã "secreta", quando busca os serviços de Neuza como pretexto para conhecer a outra vida do pai. "Disfarçada" de Madalena, Irene passa a conviver com a outra Irene, mas escapa às oportunidades de ser vista pelo pai da amiga, adiando a revelação do segredo.

O filme é delicado, singelo, com uma fotografia que encanta e personagens pelos quais fica impossível não se envolver. A obra trata das descobertas da adolescência (sexuais, pessoais, filosóficas) de forma natural e poética.
As duas Irenes: Isabela Torres e Priscila Bittencourt
As duas Irenes: Isabela Torres e Priscila Bittencourt
Veja o trailer:


Para quem, assim como eu, não conseguiu assistir ao filme no cinema, uma notícia boa: Ele já está disponível em plataformas de streaming como YouTube, NetNow e Google Play. Assista e depois me conte o que achou!

2 comentário(s)

  1. Olá Thaís!!!
    Eu não me recordo se já tinha ouvido falar do filme, mas se não me engano eu ouvir falar sim.
    Achei interessante o enredo e é uma boa proposta, além de ser uma descoberta da infância para adolescência que sempre são os momentos das dúvidas e complicações rsrsrs

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sim, são momentos de dúvidas e inseguranças, né? Se tiver oportunidade, assista! Beijo

      Excluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)


Ratas de Biblioteca 2010-2018.Conteúdo desenvolvido por Amanda Leocádio e Thaís Leocádio. Todos os direitos reservados.