[Resenha] - Livro: Não sou uma dessas

O livro "Não sou uma dessas" ("Not that kind of girl"), escrito por Lena Dunham e publicado pela Editora Intrínseca, é um relato autobiográfico da criadora e roteirista da série "Girls", da HBO. A obra tem 304 páginas e foi ilustrada por Joana Avillez.

Em crônicas organizadas por temas ("Amor & Sexo", "Corpo", "Amizade", "Trabalho" e "Panomarana"), Lena apresenta histórias carregadas de sinceridade. Sem vergonha de expor pensamentos, lembranças e ideias, a autora convida o leitor a conhecer um pouco da confusão que a compõe.
"Quando alguém revela que você significa muito pouco e você continua com essa pessoa, sem se dar conta, começa a significar menos para si mesma. Você não é feita de compartimentos! O que é dito para você é dito para você como um todo, e o mesmo vale para o que é feito. Ser tratada como merda não é um jogo divertido ou uma experiência intelectual transgressora. É algo que você aceita, tolera e aprende a acreditar que merece. Isso é tão simples. Mas me esforcei muito para complicar tudo".
Crédito: Joana Avillez
Quando o livro foi lançado (2014), trechos em que Lena falava sobre a irmã caçula ganharam espaço em sites de notícias, acusando a autora de abuso sexual. A leitura na íntegra, no entanto, desfaz esse olhar "maldoso" apresentado pelos portais.
"Como devagar as minhas panquecas enquanto ela me dizia apenas: 'Não tem problema mudar de ideia'. Sobre um sentimento, uma pessoa, uma promessa de amor."
Criada em um ambiente livre e imaginativo, Lena Dunham sempre teve espaço para se expressar artisticamente. Os relatos do livro falam sobre a vida na universidade, os empregos temporários, a produção de webséries, a fascinação pela morte e o conforto diante da nudez.
"- Você vai descobrir - diz ela - que é um pouco charmoso ter o coração partido. - Usarei essa fala muitas vezes nos anos seguintes, dando-a de presente a qualquer um que precise dela".
Lena durante a infância. Crédito: @lenadunham
O feminismo está presente em quase tudo o que a autora fala, mesmo que não esteja explícito. Mas, infelizmente, nem mesmo a mais consciente e segura mulher escapa de relacionamentos abusivos e de situações em que se percebe vítima dos homens (namorados, professores, ficantes...). Uma das crônicas - que também gerou muita polêmica na época do lançamento - narrou um estupro sofrido por Lena.
"Sempre tive talento para reconhecer quando estou num momento digno de saudades futuras".
A ordem dos acontecimentos não é cronológica e Lena divaga sobre os assuntos - mesmo os mais dolorosos - como se estivesse conversando com um amigo.
"No entanto, a ambição é uma coisa curiosa: ela se infiltra quando menos se espera e te faz ir adiante, mesmo que você prefira ficar parada".
Crédito: Joana Avillez

 Opinião: A vida, a personalidade e o estilo de Lena são completamente diferentes dos meus. E, talvez por isso, achei tudo tão interessante! Ela é uma mulher jovem que já viveu experiências muito intensas e fiquei admirada com a sinceridade do texto. Em muitos momentos, apesar de contextos distintos, me vi nas histórias da autora, que é feminista como eu. Ah, eu nunca assisti à série Girls, então não conhecia a Lena antes de ler o livro. Gostei bastante e recomendo a leitura. ;)

♥ Avaliação: 

Beijo e até a próxima!
"Você aprendeu uma nova regra e ela é simples: não se coloque em situações das quais gostaria de fugir".

Comente com o Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)