[Thaís diz] - Uma carta para meu eu de 10 anos atrás

Esse texto foi escrito para a postagem coletiva do grupo Rotaroots - blogueiros de raiz. A ideia, inspirada pelo Hypeness, é fazer uma carta para o seu eu de dez anos atrás.  Estava muito emocionada enquanto escrevia, só eu sei como 2004 foi um ano de desafios para mim (ou para ela, a pequena Thaís).

Belo Horizonte, março de 2014.
Querida Thaís,

Se está lendo isso é porque conseguiu encontrar a carta que escondi atrás do quadrinho dos ursinhos carinhosos que você pintou na escola. Sim, sei que é atrás dele – na parede do quarto com duas camas, ambas com colchas da Minnie – que você guarda seu diário de capa azul. Perdoe-me por violar seu esconderijo.

Como Dorothy, em "O Mágico de Oz"
Não me pergunte como consegui chegar até aí, existem coisas que não podem ser explicadas. Antes que me esqueça, quem de cá escreve sou eu, Thaís. Uma Thaís dez anos mais velha que, embora esteja se coçando para revelar o que te aguarda, prefere ser sutil. Trago a você apenas uns pequenos avisos e alguns conselhos.

Para começar, essas mechas no seu cabelo, no maior estilo Vampira do X-Men, continuam sendo motivo de orgulho para mim. Hoje, quando vejo as fotos, dou muita risada, as pessoas que também as veem se divertem tanto quanto eu. Mas o fato de você ter tido coragem de fazê-las mostra que foi forte. A capacidade de não se importar com a opinião dos outros é algo que poucas vezes você manifestou.

Sei também que o motivo de ter se fechado foram as mágoas da infância – essa fase doce que agora vive e, embora repleta de amor, também te machuca. Gostaria que você soubesse que é linda! Tão pequena, com este rosto redondinho e estes olhos enormes. Os seus colegas não têm razão. Você não está errada por tirar boas notas, não há mal algum em continuar sendo criança! Embora eles se achem adultos e adorem comemorar quando você perde em alguma coisa, você, Thaís, é quem está certa. Não chore, não se odeie, não sofra. Tantas coisas boas te esperam aqui, no futuro.

Suas paixões inocentes são engraçadas demais. Por favor, pare de mandar cartinhas (anônimas ou não)! Sei que está doida para saber se seu amor platônico lindo e maravilhoso do terceiro ano do ensino médio um dia perceberá que você existe. A resposta é não. Aconselho você a adiar o dia em que se apaixonará de verdade. Enrole, deixe pra lá, espere bastante.

Assista mesmo a todas essas novelas mexicanas! São ótimas! E, só para esclarecer, você continuará tendo os livros como melhores amigos. Serão sempre sua companhia, sua alegria, seu vício. Seus pais continuarão próximos de você, assim como sua irmã. Você tem muita sorte. Não deixará de blogar e seu desejo de ser lida pelas pessoas será ainda maior -- o que dará rumo a suas futuras escolhas.

As ratinhas
Ah, Thaís, como queria te por no colo agora. No alto de seus dez anos de idade é a menina para quem eu vivo querendo provar que tudo está bem. Muitas vezes me pego pensando se você se orgulharia de mim. Tento colocar um pouco de você em tudo o que eu faço. Somos bem diferentes uma da outra, mas nós duas gostamos de histórias fantásticas, filmes emocionantes e leite com café no meio da tarde.

Você sabe, tanto quanto eu, que adoro escrever. Então, é melhor que eu me despeça antes que essa carta fique grande demais. Seja forte, Thaís de 2004, a vida irá te surpreender. E não, você não é a única da sua idade que ainda não tem peito, fique tranquila.

Com carinho e saudade,

Thaís.

Comente com o Facebook

18 comentários:

  1. Amei, amei, amei essa carta!
    Emocionante, com "dicas" bem legais, e acolhedora.
    Se a gente soubesse o que realmente irá acontecer daqui a dez anos talvez não fosse tão divertido. Mas ler uma carta que foi escrita há dez anos, seria maravilhoso não é?!
    Tem um site chamado Capsula do Tempo (http://capsuladotempo.com.br/) que vc pode descrever em poucas linhas alguma coisa... e depois de dez anos, o site manda pra você o que vc havia escrito.
    Menina, no dia que escrevi, pensei assim: até parece! eu vou me lembrar do que escrevi nesse site! Hoje só lembro que eu ouvia uma música do Cidade Negra haha
    Adorei, como sempre, a postagem!

    Beijo!
    www.cometaseestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. AMEI! Quero encontrar o meu diário para recuperar as agruras e amores de infância... :)

    ResponderExcluir
  3. Adorei e super me identifiquei com vc Thais, adorava a vampira, mas ao contrário de vc nunca tive coragem de fazer mechas!! E sim, adorava novelas mexicanas!!!

    Linda carta!!

    Bjs, Michele

    ResponderExcluir
  4. Ai fofinhaaa! A gnt devia ser amigas desde sempre Tata, acho que somos almas gêmeas (sdds meu amor platônico do 3º ano).

    ResponderExcluir
  5. Excelente, como tudo o que faz, Pequena Lotte =)

    ResponderExcluir
  6. Como você é linda, meiga, dedicada em sua escrita!! :)

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Amei a sua carta. É uma viagem neh?
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Thais tua mãe tem muitos motivos para se orgulhar muito de você. Conseguiu expressar uma verdade que não é só tua mas de pessoas de várias gerações.

    ResponderExcluir
  9. Que linda sua cartinha, você escreve muito bem. Tenho certeza que a Thais de 2004 iria adorar recebê-la. :)
    Beijo

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Que post lindo Thais!!

    Sua carta ficou muito emocionante, essa fase da vida é tão difícil pra algumas pessoas...Passei por coisas semelhantes as que acredito que você passou pelo que pude retirar das suas palavras. Também sofri com pessoas que ignoravam o fato de eu não me comportar como uma adulta tendo apenas 10 anos, por ainda gostar de brincar enquanto algumas colegas já namoravam, por ter um corpo completamente infantil, enquanto algumas amigas já estavam desenvolvendo um corpo mais adulto, e por assistir as minhas amadas novelas mexicanas (Amy <3).
    Não é uma época da minha vida da qual sinta extrema saudade pois sofri um pouco, por conta dessas coisinhas (É muito difícil ser rejeitada e humilhada por seu amor adolescente :/), mas não me arrependo de nada, tudo que passei me fez a pessoa que sou hoje, forte, inteligente, decidida. E que ainda gosta de muitas das coisas que gostava antes, só que agora eu não tenho mais vergonha e não me importo mais com o que as pessoas pensam...

    Um beijão:*

    http://justonemomentt.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Que carta linda e emocionante, Thaís!
    Já escrevi uma carta para o meu eu de dez anos no futuro, contando como me vejo daqui a 10 anos.
    Essa fase dos 10 anos foi bem complicada pra mim, gostaria de ter recebido uma carta assim hahah.

    Beijos,
    http://www.epilogosefinais.com/

    ResponderExcluir
  13. Meninas, passando só pra avisar que mudei meu endereço rs
    http://www.bibliotecarialeitora.blogspot.com
    Espero que gostem e continuem me visitando ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Nossa, adorei a sua carta! Foi uma das mais doces que já li!
    A infância deixa realmente muita saudade - e muitos aprendizados.
    Beijos. ;)

    ResponderExcluir
  15. Que fofas tão piticas! Adorei :) Fiquei rindo das novelas mexicanas, hahahah! Não lembro dessa, acho que já não assistia mais, mas lembro de assistir Usurpadora e Maria do Bairro, hahaha!

    Um beijo,
    Re

    ResponderExcluir
  16. Adorei o projeto!
    E gente, que linda essa carta, quanto sentimento!
    Novelas mexicanas <3333 rsrs

    Beijos,
    Myris
    http://www.nacabeceiradacama.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)