[Resenha] - Livro: Quincas Borba


"Engana-se, senhor, trago essa máscara risonha, mas sou triste. Sou um arquiteto de ruínas."
- Machado de Assis

O livro “Quincas Borba”, um dos clássicos de Machado de Assis, embora tenha sido escrito em1891, traz personagens que poderiam muito bem viver nos dias de hoje. Uma obra repleta de confusão, paixão, desejo, loucura, interesses, riqueza, poder... elementos que, passe o tempo que passar, continuam alimentando a vida do ser humano.

Antes de morrer, o filósofo Quincas Borba – dono de um cachorro com o mesmo nome que o dele – deixou um testamento em que passava todos os bens para seu amigo, o professor Rubião. A única condição era que este deveria para sempre cuidar do cão Quincas Borba.

Rubião, é claro, ficou contente com a consideração do amigo – e mais ainda por seu súbito enriquecimento! Decidiu abandonar a cidade de Barbacena para viver no Rio de Janeiro, capital do Império. Ao chegar lá, fez amizade com Palha e sua adorável esposa Sofia.

Os dias de Rubião se passavam em meio a reuniões sociais com amigos, leituras de jornais, comentários sobre a vida alheia, almoços com um grupo de admiradores, prováveis candidaturas políticas e seu encanto pela mulher de Palha. O Rio de Janeiro foi palco de suas dúvidas e crises, na vida confortável que levava em uma casa cheia de empregados a sua disposição.

As coisas caminharam bem até que Rubião teve seu primeiro surto psicótico. A loucura – que outrora acometeu o homem Quincas Borba – foi de encontro ao seu herdeiro, sendo possível fazer uma análise dos valores que regem as amizades. Enquanto rico e lúcido, não faltavam bajuladores. Aos poucos, as únicas riquezas que restaram a Rubião – que pensava ser Napoleão Bonaparte – foram a companhia e a lealdade do espalhafatoso cachorro Quincas Borba.
Opinião: Machado envolve e surpreende, como narrador onisciente que parece conversar com o leitor. As divagações do autor, as histórias aleatórias que surgem inesperadamente e os personagens secundários, tão bem construídos quanto os protagonistas, fazem dessa leitura uma experiência deliciosa! Caso tenha interesse, a obra completa de Machado de Assis está disponível para download gratuito na biblioteca digital Domínio Público (http://machado.mec.gov.br/).


E vocês, já leram? Gostaram? (:

Comente com o Facebook

3 comentários:

  1. Só li dois livros do Machado, mas já deu para perceber o quanto ele é incrível! Lerei Quincas Borba este ano, a história parece muito interessante.

    Gostei do modo como escreves. E adorei o blog!
    Irei acompanhar o trabalho de vocês.

    Beijos
    Rafa
    http://sonharnostemposdoagora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha! Faz um tempinho que não leio nenhum clássico da literatura nacional. Eu lia muito no ensino médio, eu sempre pegava um pra ler na biblioteca da escola *-*.
    Vou dar uma passada no site domínio pública e baixar algumas obras para ler...Valeu por ter colocado o site aqui ;)

    Amei seu blog, muito fofo!

    http://justonemomentt.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Esse livro é meu preferido do Machado. Faz bastaaante tempo que li, e preciso ler novamente. A resenha como sempre está uma delícia de ler! =)

    Beijos,

    www.cometaseestrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, sua opinião é muito importante. ;)